Camas de papelão no saguão
Reprodução/Twitter
Camas são disponibilizadas para passageiros que aguardam resultado de exames

Os passageiros que chegam ao aeroporto de Narita, em Tóquio, no Japão, estão recebendo uma cama de papelão para dormir em um hotel improvisado na área de restituição de bagagens enquanto esperam os resultados de testes para a Covid-19 .

Leia também: Medidas de restrição devem ser executadas lentamente, alerta OMS

Camas em saguão
Reprodução/Twitter
Hotéis próximos ao aeroporto estão lotados

O aeroporto diminuiu suas atividades em meio à pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2) fechando uma de suas pistas, mas alguns voos de outros países continuam chegando, como é o caso dos Estados Unidos e Itália. Passageiros de todas as nacionalidade, no entanto, precisam passar pelos testes antes de finalizarem o desembarque e saírem das dependências do terminal.

Segundo autoridades japonesas, os resultados dos testes podem sair em seis horas, mas há atrasos que chegam a um ou dois dias.

Além de estarem proibidas de saírem do aeroporto, os passageiros que nã têm outra pessoas para buscá-los também não podem usar o transporte público. Por isso, as camas também atendem a essas pessoas, já que as hospedagens próximas ao aeroporto, usadas para abrigar os passageiros, estão cheias.

Leia também: Pacientes curados da Covid-19 voltam a testar positivo na Coreia do Sul

Usadas de maneira improvisada, essas camas foram desenvolvidas para serem usadas em centros de evacuação durante desastres. O kit é feito com um tipo de papelão mais resistente e contêm um colchão e um cobertor.

Cama de papelão
Reprodução/Twitter
Tempo de espera dos passageiros pode chegar a dois dias

Na semana passada, o Japão declarou estado de emergência em seus maiores centros urbanos para lutar contra a disseminação da Covid-19. O número de casos no país é de pelo menos 7.400, com 137 mortes, informa a emissora pública NHK.

    Veja Também

      Mostrar mais