Bolsonaro falando em frente a fundo azul com uma bandeira arrow-options
Reproducao: Facebook
Bolsonaro em pronunciamento sobre coronavírus

Na noite desta terça-feira (25), o presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento sobre a crise do novo coronavírus. Seu discurso foi analisado por veículos de mídia estrangeiros, que não pouparam críticas às suas palavras e chamaram Bolsonaro de “incendiário” e “contraditório”.

As mais duras vieram do jornal espanhol El País , que dedicou um editorial à fala do presidente brasileiro. De acordo com o diário, Bolsonaro é “o pior caso” entre os líderes que tentam minimizar a crise. "As declarações oficiais de que o Brasil dispõe de recursos suficientes para enfrentar esse tsunami são difíceis de acreditar", diz o texto. 

El País , ainda refutou a fala de Bolsonaro de que o novo coronavírus não se propagaria com facilidade no Brasil. "O vírus se comporta de maneira similar em todas as latitudes", conclui o editorial.

O The Guardian , da Inglaterra, classificou as declarações do presidente como “incendiárias”, e destacou a realização de panelaços durante o discurso . O jornal também informou que muitos adversários de Bolsonaro vêm dizendo que sua atuação em meio à pandemia “vai ser o fim de sua carreira política”.

Na França, o jornal Le Monde disse que o presidente minimizou os riscos da doença ao criticar as medidas de isolamento. O Le Parisien lembrou os números de mortes e casos confirmados no Brasil e afirmou que “as deficiências do sistema de saúde, além da pobreza e a insalubridade nas quais vivem uma grande parte da população, ameaçam agravar a epidemia na primeira economia da América Latina”.

O jornal português Público destacou o fato de que as afirmações feitas por Jair Bolsonaro na última noite contraria recomendações do próprio Ministério da Saúde, que em seu site oficial pede que as pessoas evitem aglomerações e deslocamentos. O diário lembrou ainda que o mandatário brasileiro se nega a mostrar os resultados dos testes para covid-19 que realizou.

Leia também: "Estarrecidos", renúncia e "passou dos limites": reações após fala de Bolsonaro

Maior jornal dos Estados Unidos, o The New York Times usou artigos de agências de notícias que enfatizam a intenção de Bolsonaro de minimizar o problema e mostram que a pandemia já afetou mais de 300 mil pessoas em todo o mundo.

O veículo argentino Clarín também ressaltou que o discurso do presidente foi acompanhado de panelaços e gritos de “Fora Bolsonaro ”  nas maiores cidades do País.

    Veja Também

      Mostrar mais