Bolsonaro
Reproducao: Facebook
Bolsonaro em pronunciamento no Facebook

Em pronunciamento na noite desta terça-feira (24), o presidente Jair  Bolsonaro defendeu o fim do confinamento em massa e afirmou que "nossa vida tem que continuar". O presidente criticou medidas como o fechamento de escolas e comércio. Assista ao vídeo completo no fim da reportagem.

"Autoridades estaduais e municipais devem abandonar o conceito de terra arrasada , a proibição de transportes, o fechamento de comércio e o confinamento em massa. O que se passa no mundo tem mostrado que o grupo de risco é o das pessoas acima de 60 anos. Então, por que fechar escolas?", indagou Bolsonaro.

Leia:  Por sétimo dia consecutivo, há panelaço contra Bolsonaro em capitais

As medidas de quarentena foram anunciadas pelos governos estaduais de São Paulo e Rio de Janeiro. Nesta quarta-feira (25), às 9h, os governadores do Sudeste irão se reunir com Bolsonaro por videoconferência. Estarão presentes o governador de São Paulo João Doria e do Rio de Janeiro, Wilson Witzel.

O presidente afirmou que o vírus chegou e "brevemene chegará". Para Jair Bolsonaro, "os empregos devem ser mantidos e o sustento das famílias deve ser preservado".

O presidente falou três vezes durante o pronuciamento em combater o " pânico " e a " histeria ".

Bolsonaro criticou os veículos de imprensa e as comparações feitas com a situação da Itália , já que se trata de um país "com um clima completamente diferente" do Brasil.

Veja:  Sem Mandetta, Ministério da Saúde divulga mais testes para covid-19

Ele ainda citou que diante de seu "histórico de atleta", se ele tivesse sido contaminado pelo novo coronavírus sentiria, no máximo "uma gripezinha " ou "um resfriadinho".

Também demonstrou otimismo em relação ao surgimento de uma cura para o novo coronavírus. Como o presidente norte-americano Donald Trump, Bolsonaro citou em seu pronunciamento a cloroquina .


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários