Tamanho do texto

Pelo menos 388 pessoas começaram o ano detidas na Venezuela, de acordo com informações da ONG Foro Penal. É o maior número já registrado no país

Protestos na Venezuela arrow-options
Reprodução/Twitter
Protestos na Venezuela

A ONG venezuelana Foro Penal informou nesta quinta-feira (2) que o país iniciou o ano de 2020 com pelo menos 388 pessoas detidas por razões políticas, sendo a maior quantia já registrada na história da nação.

Leia também: 95% dos deputados faltaram ao trabalho em 2019; saiba quem mais se ausentou

Segundo o relatório, 270 detidos considerados pela oposição como "prisioneiros políticos" são civis e outros 118 são militares. Além disso, dos 388 presos, figuram 370 homens e 18 mulheres, mas sem nenhum menor de idade.

"A Venezuela começou o ano de 2020 com o maior número de presos políticos em sua história", escreveu em suas redes sociais Alfredo Romero, diretor da organização.

Leia também: Irã promete "vingança implacável" aos EUA por assassinato de general Soleimani

O país está imerso em um profundo conflito político desde o ano passado, quando o líder da oposição Juan Guaidó, chefe do Parlamento, assumiu as funções do Executivo depois que o Legislativo declarou o presidente, Nicolás Maduro, "usurpador", alegando ter sido reeleito nas eleições denunciadas como fraudulentas dentro e fora da Venezuela.

A Venezuela registra a pior crise econômica de sua história recente, segundo analistas locais, marcada por uma grand einflação, escassez de alimentos, remédios, água potável e sérios problemas em eletricidade, telecomunicações, serviços bancários, comércio, transporte e saúde.

Leia também: Tensão internacional aumenta e brasileiro faz memes com "3ª Guerra Mundial"

De acordo com o Organização das Nações Unidas (ONU), mais de 4 milhões de pessoas abandonaram nos últimos anos o país em busca de melhores condições de vida em outras nações, como o Brasil.