Primeiro-ministro do Líbano, Saad Hariri renunciou ao cargo após duas semanas de protestos
Reprodução
Primeiro-ministro do Líbano, Saad Hariri renunciou ao cargo após duas semanas de protestos

O primeiro-ministro do Líbano, Saad Hariri , anunciou nesta terça-feira (29) que renunciou ao cargo após ser alvo, ao lado de duas semanas, de manifestações de rua. O comunicado aconteceu através de sua conta oficial no Twitter.

Leia também: "Tenho uma certa afinidade com o príncipe", diz Bolsonaro sobre Bin Salman

"Apresento minha renúncia do governo em resposta aos muitos libaneses que saíram às ruas", afirmou o primeiro-ministro do Líbano . "Coloquei minha demissão à disposição do presidente", acrescentou.

Além disso, para Hariri, o país chegou a um impasse e é necessário um choque para que a crise seja ultrapassada. O atual presidente libanês é Michel Aoun , do Movimento Patriótico Livre.

Você viu?

Leia também: Manifestantes cantam Baby Shark para criança durante protesto no Líbano; assista

Os protestos começaram após o governo anunciar planos de taxar chamadas feitas pelo aplicativo de conversas WhatsApp . A pauta dos manifestantes logo foram amplidas e o foco passou a ser corrupção política e crise econômica.

Parte do país foi paralisado com as manifestações. Bancos ficaram fechados por dez dias, bem como empresas, escolas e universidades.

Leia também: Chile é palco de novos protestos após troca de ministros

Atualmente, o Líbano tem um dos níveis de endividamento mais altos do mundo. O Brasil é um dos países com maior número de descendentes de libaneses, cerca de 12 milhões, sendo que o país tem cerca de 6 milhões.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários