O cubano Raúl Castro
Divulgação/Governo da Rússia
Raúl Castro teve a conta do Twitter suspensa

O Twitter bloqueou as contas de Raúl Castro, sua filha Mariela e dos principais meios de comunicação estatais cubanos, um movimento que a União de Jornalistas de Cuba (Upec) denunciou como “ censura massiva”.  Na noite de quarta-feira (11), dezenas de contas de jornalistas da mídia estatal, bem como do Ministério das Comunicações, também foram banidas da rede social. 

As contas suspensas “por violar as regras do Twitter ” são as de Cubadebate (300 mil seguidores) e do jornal Granma (167 mil), além dos jornalistas Leticia Martínez e Angélica Paredes, da equipe de imprensa de Díaz-Canel; Rosa Miriam Elizalde, vice-presidente da Upec; e Enrique Moreno Gimeranez, jornalista do Granma.

Leia também: Bolsonaro sugere que cubanos 'não são bons médicos'

“Parece uma operação planejada de falsas alegações de uso abusivo e violação das políticas da plataforma. Surpreende o preconceito político, a seletividade dos usuários afetados e a oportunidade (oportunismo): quando o presidente Diaz Canel falava”, escreveu Elizalde.

A empresa americana não explicou a medida, que ocorreu no momento em que o presidente Miguel Díaz-Canel discursava na TV estatal, alertando para uma crise de energia devido às sanções dos EUA.

“O que há de novo aqui é o escopo maciço desse ato de guerra cibernética, claramente planejado, que visa limitar a liberdade de expressão de instituições e cidadãos cubanos e silenciar os líderes da revolução”, afirmou Díaz-Canel em comunicado.

Leia também: Estados Unidos impõem sanções contra estatal cubana por apoio a Maduro

Alguns jornalistas cubanos independentes, no entanto, ironizaram o fato de que autoridades de um governo que detém o monopólio da mídia tradicional reclamassem de censura. O jornalismo independente em Cuba é tolerado, mas não é legal. Sites de vários veículos alternativos, críticos ao governo, são bloqueados na ilha. 

“A imprensa oficial cubana descobre a 'liberdade de expressão' graças ao Twitter”, ironizou o canal "14ymedio", administrado pela dissidente Yoani Sánchez.

Por muito tempo, Cuba foi um dos países menos conectados do mundo, mas vem expandindo rapidamente o acesso à web nos últimos anos. Autoridades cubanas entraram no Twitter no ano passado, depois que Díaz-Canel abriu uma conta, com o objetivo de ter “mais contato com o povo”. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários