Tamanho do texto

Cubametales é responsável por importação e exportação de petróleo: "Sanções frustrarão as tentativas de Maduro comprar proteção de Cuba"

Donald Trump
Shealah Craighead/Official White House - 30.6.19
Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

Os Estados Unidos impuseram nesta quarta-feira (3) sanções à Cubametales, empresa estatal de importação e exportação de petróleo de Cuba, por seu apoio ao governo de Nicolás Maduro na Venezuela, anunciou o departamento do Tesouro americano. Ao mesmo tempo, o governo retirou da lista negra do Tesouro a italiana PB Tankers, empresa de navegação que havia sido punida com sanções em abril por operar no setor de petróleo venezuelano.

Leia também: Trump se encontra com príncipe saudita acusado de orquestrar morte de jornalista

“As sanções do Tesouro contra Cubametales frustrarão as tentativas de Maduro de usar o petróleo da Venezuela como um instrumento para ajudar seus partidários a comprar proteção de Cuba e de outros atores estrangeiros malignos”, disse o secretário do Tesouro dos EUA , Steven Mnuchi, em nota.

Ao anunciar o levantamento das sanções contra a PB Tankers, o secretário destacou a rescisão do contrato que a empresa mantinha com a Cubametales .

“O Tesouro reconhece as ações que a PB Tankers tomou para garantir que seus navios não sejam cúmplices no apoio ao regime ilegítimo de Maduro na Venezuela . A decisão do Tesouro de remover as restrições e desbloquear navios previamente punidos é um lembrete de que mudanças positivas no comportamento podem resultar no levantamento de sanções”.

Leia também: Criança brasileira de 2 anos desaparece ao cruzar fronteira entre México e EUA

As sanções envolvem o bloqueio de todos os ativos de pessoas ou empresas que possam estar direta ou indiretamente sob a jurisdição dos Estados Unidos, bem como a proibição de qualquer transação legal envolvendo indivíduos e entidades dos Estados Unidos .

Segundo o Tesouro, o governo de Cuba consolidou seu investimento no setor de petróleo da Venezuela com um acordo de cooperação assinado em 31 de outubro de 2000, no início do governo do ex-presidente Hugo Chávez. Segundo o acordo, a Venezuela exporta petróleo para Cuba, enquanto Havana colabora com Caracas em vários setores, especialmente fornecendo serviços médicos e assistência militar.

Nos últimos meses, o governo de Donald Trump limitou as remessas que cubanos nos Estados Unidos podem enviar à sua terra natal e ativou o Título III da Lei Helms-Burton, que permite ações na Justiça americana contra empresas estrangeiras que utilizarem propriedades confiscadas pelo governo de Cuba nos anos 1960, durante a revolução.

Além disso, Trump proibiu viagens de cruzeiros americanos para a ilha , o que deve afetar cerca de 800 mil reservas em um ano, segundo empresas do setor. Na última quinta-feira, Washington adicionou Cuba à categoria mais severa de países com tráfico humano, o que pode levar ao bloqueio da ajuda econômica americana no Fundo Monetário Internacional (FMI) e a novas sanções econômicas.

Leia também: China acusa EUA de interferência e critica protestos em Hong Kong

O governo dos EUA também aplicou uma série de sanções contra o presidente venezuelano e seus funcionários e ex-funcionários, bem como contra entidades e empresas venezuelanas, incluindo a estatal petrolífera PDVSA. Um embargo em vigor desde 28 de abril impede que o petróleo venezuelano seja negociado no mercado americano.