Tamanho do texto

Comitê Judiciário da Câmara vai intensificar investigações e ouvirá testemunhas que podem fornecer novas provas contra o presidente

Donald Trump acenando arrow-options
Fotos Públicas
Donald Trump é investigado por suposta interferência russa nas eleições de 2016

O Comitê Judiciário da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou nesta quinta-feira (12) uma medida que intensificará investigações contra o presidente Donald Trump , as quais podem levara um processo de impeachment. A medida permite que sejam realizadas audiências com testemunhas, e que os interrogatórios ocorram de maneira mais dura. As informações colhidas poderiam sustentar o impeachment .

Leia também: Trump diz que Bolton 'estava fora da linha' sobre Venezuela

A Comissão determinou que essas audições ocorram a partir da semana que vem. O primeiro a ser ouvido, em 17 de setembro, será o ex-gestor de campanha de Trump, Corey Lewandowski.

Serão apurados os casos da suposta interferência russa nas eleições presidenciais de 2016 e os alegados pagamentos de Trump para mulheres com quem teria mantido relações extraconjugais.

Leia também: Estados Unidos recordam 18 anos dos atentados de 11 de setembro

A manobra foi aprovada com o apoio dos democratas, que são maioria, mas foi rejeitada pelos republicanos, do partido do presidente. Antes de Trump , o Comitê Judiciário já tinha adotado essas medidas contra os ex-presidentes Richard Nixon e Bill Clinton nos anos 70 e 90, respectivamente.