O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, com o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro
Alan Santos/PR
O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, com o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, anunciou nesta terça-feira (10) que pretende anexar o Vale do Rio Jordão e outras áreas do território palestino da Cisjordânia se for reeleito em 17 de setembro.

Leia também: Donald Trump demite John Bolton, conselheiro de Segurança Nacional

As eleições da próxima terça-feira, dia 17, acontecem porque Netanyahu , no poder há dez anos, fracassou em formar uma coalizão de governo depois das eleições gerais de abril deste ano, mesmo com a vitória de seu partido, o Likud.

"Hoje, eu anuncia minha intenção, depois da formação do novo governo, de aplicar a soberania israelense ao Vale do Jordão e ao norte do Mar Morto", afirmou o primeiro-ministro em um discurso transmitido ao vivo pela TV.

Leia também: Cadeirante tenta atravessar rua, é atingido por carro e 'voa' por 10m; assista

Você viu?

Na véspera, também como parte de sua campanha eleitoral, Netanyahu havia voltado a acusar o Irã de seguir com o desenvolvimento de armas atômicas, mesmo depois da assinatura em 2015 do acordo sobre o programa nuclear do país.

Em evento de campanha, o premier afirmou que o governo iraniano mantinha um local secreto perto da cidade de Abadeh, no sul do país. Ali, segundo Netanyahu, eram desenvolvidos experimentos relacionados à produção de armas nucleares. Ele ainda disse que, quando os iranianos perceberam que tinham sido descobertos, interromperam as atividades.

"Eles destruíram o local. Simplesmente o fizeram desaparecer", disse, segurando fotos do que seria o centro de testes. Ele não revelou quais atividades eram realizadas ali, nem mesmo como os iranianos descobriram que estavam sendo monitorados.

Leia também: Homem invade loja, deixa xerox do rosto e sai sem roubar nada

Pouco depois das acusações, o chanceler iraniano, Javad Zarif , foi ao Twitter atacar Netanyahu, lembrando que Israel é o único país do Oriente Médio a ter um arsenal atômico, não declarado e calculado em entre 80 e 200 ogivas.

“O dono de armas nucleares REAIS está sendo dramático — sobre um SUPOSTO local ‘demolido’ no Irã. Ele e o #B_Team [como Zarif se refere a nomes do governo americano que são abertamente contra o governo iraniano] só querem guerra, não importa quanto sangue inocente [seja derramado] & outros $ 7 TRILHÕES (de dólares). Lembram-se das ‘GARANTIAS’ das reverberações positivas’ em 2002? Dessa vez, com certeza ele não estará às margens assistindo", salientou sobre Netanyahu .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários