Jean-Yves Le Drian é ministro das Relações Exteriores
Marcelo Camargo / Agência Brasil
Jean-Yves Le Drian é ministro das Relações Exteriores

IO - O ministro francês das Relações Exteriores, Jean-Yves Le Drian , denunciou neste domingo um "concurso de insultos " sobre Brigitte Macron , a mulher do presidente Emmanuel Macron, por parte das autoridades brasileiras. Durante entrevista a uma rádio, o chanceler criticou a maneira como o Brasil vem administrando suas relações internacionais.

Leia mais: Filha de Brigitte Macron repudia misoginia de líderes brasileiros em vídeo

— Minha opinião pessoal é que não se administram relações internacionais organizando, qualquer que seja o país, um concurso de insultos. Isso é o que está acontecendo — disse Le Drian em um programa da rádio Europe1.

Na quinta-feira passada, o ministro da Economia, Paulo Guedes, se desculpou publicamente por ter dito que a mulher do presidente francês era "feia mesmo".

Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro retirou do Facebook, alegando que queria "evitar duplas interpretações", um comentario a um meme que um de seus seguidores comparava a aparência física de Brigitte Macron , na qual ela aparece séria, com uma imagen da primeira dama brasileira, Michele Bolsonaro, sorrindo ao lado do marido no dia da posse presidencial.

"Agora entende porque o Macron ataca o Bolsonaro?", dizia o comentário ao qual o presidente brasileiro respondeu: "Não humilha, cara. Kkkkkkkkkk".

Você viu?

Macron qualificou esse comentário como "extraordinariamente desrespeitoso", mas Bolsonaro negou que se trataria de uma ofensa. "Eu não pus essa foto da sua mulher", alegou o presidente brasileiro.

Os internautas brasileiros inundaram as redes sociais repudiando a atitude de Bolsonaro com a hashtag #DesculpaBrigitte .

A França e o Brasil vivem momentos de embate diplomática , após Macron classificar como uma "crise internacional" a proliferação de incêndios na Floresta Amazônica.

Cerca de um mês após a reunião do G20, Bolsonaro cancelou uma reunião de 30 minutos que teria com Jean-Yves Le Drian em Brasília. Segundo o Itamaraty, o encontro teria sido cancelado por "problemas de agenda" do presidente da República , mas, na hora em que a reunião deveria acontecer, Bolsonaro estava cortando o cabelo, o que foi transmitido ao vivo pelas redes sociais presidenciais.

Leia mais: Paulo Guedes pede desculpas por chamar Brigitte Macron de "feia"

O presidente depois alegou que não se reuniu com o chanceler francês porque Le Drian teve encontros com representantes da oposição e de ONGs brasileiras, em sua maioria hostis à sua política ambiental. Alguns dias depois, Le Drian ironizou a "emergência capilar" do presidente brasileiro, em entrevista ao Journal du Dimanche:

— Todo mundo conhece as restrições que acompanham as agendas dos chefes de Estado . Então, obviamente, houve uma emergência capilar. Essa é uma preocupação que é estranha para mim — declarou Le Drian, em uma referência irônica a sua calvície, em uma entrevista ao Journal du Dimanche.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários