Tamanho do texto

O furacão Dorian chegou nos EUA nesta quinta-feira, com categoria 5, depois de deixar um cenário de devastação e pelo menos 30 mortos nas Bahamas

Planeta

Avião sobrevoando furacão Dorian arrow-options
Reprodução/Twitter Nick Underwood
Vídeo foi gravado depois que furacão já tinha perdido um pouco de força

Um engenheiro aeroespacial da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA, na sigla em inglês), que se denomina um “caçador de furacões”, postou no Twitter um vídeo mostrando como é voar no meio de um furacão .

Leia também: Furacão Dorian recobra força ao se aproximar do Canadá

Nick Underwood observou na legenda do vídeo que, no “olho” do furacão, é possível observar um incrível “efeito estádio”.

O efeito estádio é um fenômeno típico de ciclones tropicais fortes. Acontece quando as nuvens da parede do olho, ou seja, do centro do furacão , curvam-se para fora conforme aumentam sua altitude. Esse movimento dá ao olho do furacão uma aparência curva, como se fosse um estádio.

Veja o vídeo:


Os efeitos do furacão Dorian já começaram a ser sentidos nos Estados Unidos na quinta-feira (5), nos estados da Carolina do Norte e Carolina do Sul, onde chegou como categoria 2 com chuvas e ventos muito fortes.

O furacão devastou o norte das ilhas Bahamas, onde chegou com categoria 5 e deixou pelo menos 30 mortos e milhares de desabrigados.

O primeiro-ministro das Bahamas, Hubert Minnis, disse que o furacão deixou uma “devastação geracional”. A Organização das Nações Unidas estima que 76 mil pessoas estão precisando de ajuda nas ilhas, e enviarão oito toneladas de alimentos para lá.

Leia também: Após passagem de furacão, tabletes de cocaína são encontrados em praia dos EUA

Em algumas cidades dos estados americanos atingidos, os ventos e chuvas derrubaram árvores, postes de luz, telhados e coberturas, além de alagar ruas.