Tamanho do texto

O presidente da França disse que "não é tempo para palavras, mas de ações"

Emmanuel Macron arrow-options
Reprodução/Twitter/emmanuelmacron
Macron fez um pronunciamento antes da reunião do G7 pedindo que as grandes potências se mobilizem pela Amazônia

Neste sábado (24), o presidente francês, Emmanuel Macron, pediu a "mobilização de todas as potências" em prol da Amazônia. Segundo ele, essa parceria entre os países é importante para combater o desmatamento e investir no reflorestamento. O pronunciamento foi feito antes da reunião anual da cúpula G7, que acontece neste fim de semana em Biarritz, litoral da França. 

Leia também: Boris Johnson se junta a Macron e fala em 'crise internacional' na Amazônia

A cúpula G7 é composta pelas sete economias mais avançadas do mundo: Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido. “A Amazônia é nosso bem comum. Estamos todos envolvidos, e a França está provavelmente mais do que outros que estarão nessa mesa, porque nós somos amazonenses. A Guiana Francesa está na Amazônia”, afirmou Macron. 

No discurso, ele destaca que a  Amazônia “é um tesouro de biodiversidade e um tesouro para o nosso clima, graças ao oxigênio que ela emite e ao carbono que ela captura”. O presidente da França comprometeu-se a defender o oceano e as florestas. "Temos que responder a isso de maneira concreta. Nestes assuntos, o tempo não é mais para palavras, e sim para ações", disse. 

Leia também: Questão ambiental deve dificultar acordos entre Mercosul e União Europeia

“Vamos lançar uma mobilização de todas as potências que estão aqui, em parceria com os países da Amazônia, para investir na luta contra os incêndios que estão em curso e ajudar o Brasil e todos os outros países que são atingidos. Depois, investir no reflorestamento e permitir aos povos autóctones, às ONGs, aos habitantes desenvolverem atividades preservando a floresta, que nós precisamos”, explicou Macron

Na quinta-feira (22), Macron já havia afirmado  pelo Twitter que considera os incêndios na Amazônia uma "crise internacional".  O tópico “emergência climática” foi inserido entre os temas que serão abordados na reunião do G7 com "prioridade máxima".