Tamanho do texto

Primeiro-ministro britânico se manifestou pelo Twitter sobre as queimadas na Amazônia; Johnson ofereceu ajuda do Reino Unido para apagar incêndio

Boris Johnson arrow-options
Reprodução/Instagram Boris Johnson
Primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, se manifestou pelo Twitter sobre queimadas na Amazônia

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, afirmou nesta sexta-feira (23) que os casos de queimadas na Amazônia são "uma crise internacional". Sua declaração ecoa fala do presidente francês, Emmanuel Macron.

Leia também: Macron e celebridades usam foto antiga para comentar queimadas na Amazônia

Via Twitter, Boris Johnson ofereceu ajuda e disse que o Reino Unido "está pronto para fornecer o apoio necessário para enfrentar os fogos de incêndio e ajudar a proteger uma das grandes maravilhas do planeta".

Macron também  se manifestou pelo Twitter nesta quinta-feira (22) e disse que as queimadas na Amazônia seriam tema de discussão no encontro do G7, do qual o Brasil não faz parte. O presidente Jair Bolsonaro não gostou do comentário e rebateu a declaração de Macron chamando-a de "colonialista".

Leia também: Embaixadas brasileiras são tomadas por manifestantes em defesa da Amazônia

Com sua publicação, Boris Johnson  pode entrar para o grupo de desafetos do presidente brasileiro, que além de Macron conta também com Angela Merkel. A chanceler alemã já havia desagradado Bolsonaro ao se manifestar sobre as políticas ambientais brasileiras anteriormente e, nesta sexta,  concordou com Macron sobre a necessidade de se discutir as queimadas na reunião do G7.