Tamanho do texto

Jovem também acabou morto no local pela polícia, que agora busca possível cúmplice de ataque que matou pelo menos três pessoas nos EUA

Pessoas correndo de tiroteio nos Estados Unidos arrow-options
Niah Wavyah / Twitter
Vídeos registraram momentos de desespero após atirador invadir festival nos Estados Unidos

Fontes da polícia disseram às redes de TV norte-americanas CBS News e NBC News terem identificado como Santino William Legan, 19 anos, o atiradorque matou três pessoas em um festival gastronômico na Califórnia, EUA ,  neste domingo. Legan acabou morto pela polícia no local, e as autoridades agora fazem buscas por um possível cúmplice na região de Gilroy , cidade a cerca de 48 km Sudoeste de San José.

Segundo a polícia, o atirador teria cortado uma cerca para entrar no Festival do Alho de Gilroy, evitando assim passar por detectores de metais e outras medidas de segurança do evento, realizado anualmente por voluntários no Parque de Christmas Hill. Ele também teria publicado uma fotografia já dentro da área do festival em sua conta na rede social Instagram momentos antes do tiroteio. 

Leia também: Tiroteio em Nova York deixa uma pessoa morta e 11 feridos

A conta parecia ter sido criada há apenas alguns dias e foi desativada em algum ponto já na manhã desta segunda. “Ayyy, hora do festival de alho”, escreveu na legenda da foto. “Venha se acabar com esta m… cara”, acrescentou.

Entre os três mortos no ataque está um menino de seis anos, com outras 15 pessoas feridas. Ainda não está claro quantas dela foram atingidas por tiros ou se machucaram tentando fugir. Um dos feridos segue internado em estado crítico, informou o hospital para onde foram levados.

Leia também: Homem é condenado à prisão por compartilhar vídeo do atentado na Nova Zelândia

Segundo Scot Smithee, chefe de polícia de Gilroy, está em curso uma caçada por um segundo suspeito “envolvido de alguma maneira que ainda não sabemos” no tiroteio , cuja motivação as autoridades ainda desconhecem. “Não temos ideia de um motivo”, disse Smithee.

Enquanto isso, o presidente dos EUA , Donald Trump, disse em evento na Casa Branca que o atirador era um “assassino cruel” e pediu orações pelas vítimas. “Estamos de luto por suas famílias, e pedimos a Deus que lhes dê conforto com este fluxo de compaixão e graça”, afirmou Trump.