Tamanho do texto

Leonardo da Rosa fazia intercâmbio e foi encontrado morto por causas ainda desconhecidas. Colegas de intercâmbio afirmam que ele foi vítima de crime

Leonardo da Rosa em foto tirada na China arrow-options
Leonardo da Rosa / Facebook
Leonardo da Rosa era natural de Caxias do Sul e começou o intercâmbio no segundo semestre de 2018

Um aluno brasileiro que fazia intercâmbio em Pequim, na China, foi encontrado morto em circunstâncias ainda não esclarecidas. Leonardo Cláudio da Rosa, de 23 anos, estudava letras na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e viajou para o país no segundo semestre de 2018 por meio de uma bolsa de estudos oferecida em parceria com o Ministério da Educação da China. 

Leonardo, que é natural de Caxias do Sul, começou a estudar na UFRGS em 2015. Por meio de nota, a instituição lamentou a morte e declarou que está em contato permanente com a universidade chinesa em busca de mais informações.

Leia também: Brasileira é encontrada morta em quarto de hotel no Chile

Na nota de falecimento, a instituição de ensino também declarou que aguarda recomendações do Ministério das Relações Exteriores do Brasil e da Embaixada da China. "Os órgãos estão acompanhando a investigação policial que está em andamento para apurar as circunstâncias do falecimento, bem como tratando sobre o traslado do corpo para o Brasil”, diz trecho do documento.

Pouco antes de embarcar, Leonardo foi um dos cinco estudantes presentes em reunião com o reitor e a vice-reitora da UFRGS. Em conversa divulgada na época pela instituição, ele afirmou que tinha interesse em focar na área da psicolinguística e, até mesmo, ajudar a implantar o ensino do mandarim no Brasil. 

Nas redes sociais, o aluno tinha o costume de publicar pequenas atualizações e curiosidades sobre a vida no país estrangeiro. Por meio das redes, amigos também prestaram homenagens ao rapaz.

Leia também: Duas crianças brasileiras morrem após serem atingidas por rocha no Chile

Segundo a direção do Instituto de Letras da UFRGS, os colegas de intercâmbio de Leonardo afirmaram que ele foi vítima de crime. Nada foi esclarecido até o momento. 

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil informou que o falecimento de Leonardo ocorreu na cidade de Chongqing, localizada a 1,7 mil quilômetros de distância de Pequim. O órgão disse que está "em contato constante com as autoridades policiais locais para obter informações adicionais quanto às circunstâncias do ocorrido". Segundo o Itamaraty, a família de Leonardo também recebe orientações quanto aos trâmites burocráticos para traslado do corpo até o Brasil.