Tamanho do texto

Presidente diz que elas deveriam ajudar "a consertar os lugares totalmente falidos e infestados de crime"; democratas consideraram a fala xenofóbica

donald trump arrow-options
Flickr/The White House
Os comentários de Trump parecem se referir ao grupo conhecido como "o esquadrão", formado por deputadas democratas

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump , disse neste domingo (14) que um grupo de deputadas democratas deveria voltar a seus países de origem e ajudar "a consertar os lugares totalmente falidos e infestados de crime", um comentário condenado e interpretado como racista por democratas .

Leia também: Trump deixou acordo nuclear com Irã para contrariar Obama, sugere ex-embaixador

"É tão interessante ver as democratas 'progressistas' do Congresso, que vieram originalmente de países cujos governos são uma catástrofe total e completa, os piores, mais corruptos e ineptos em qualquer lugar do mundo (se é que têm um governo em funcionamento), dizer alto e cruelmente ao povo dos Estados Unidos, a maior e mais poderosa nação da Terra, como nosso governo deve ser administrado",  escreveu Trump no Twitter.

"Por que elas não voltam e ajudam a consertar os lugares totalmente quebrados e infestados de crime de onde vieram? Então voltem e nos mostrem como deve ser feito. Esses lugares precisam muito de sua ajuda, vocês não podem sair rápido o suficiente. Tenho certeza de que Nancy Pelosi ficaria muito feliz em ajudar com viagens gratuitas", continuou.

Embora não tenha mencionado nomes, Trump parecia estar se referindo às deputadas estreantes Alexandria Ocasio-Cortez, de Nova York; Ilhan Omar, de Minnesota; Ayanna Pressley, de Massachusetts; e Rashida Tlaib, de Michigan — um grupo conhecido como "o esquadrão" e que tem sido muito crítico a Trump e também à atual liderança democrata da Câmara.

Leia também: Blecaute deixa grande parte do centro de Nova York no escuro; veja vídeos

Das quatro, três — Alexandria Ocasio-Cortez, Rashida Tlaib e Ayanna Pressley — nasceram e foram criadas nos EUA, enquanto a quarta, Ilhan Omar, nasceu na Somália e se mudou para os EUA ainda criança. Ocasio-Cortez, cujos pais são de ascendência porto-riquenha, nasceu no Bronx. Pressley é Cincinnati e cresceu em Chicago. E Tlaib nasceu em Detroit de família imigrante palestina.

A presidente da Câmara, Nancy Pelosi, uma democrata da Califórnia, entrou em conflito com o grupo em uma luta intrapartidária, mas saiu em sua defesa neste domingo junto com outros colegas democratas. Ela chamou os comentários de Trump de "xenofóbicos".

"Quando Donald Trump diz a quatro congressistas americanas que voltem a seus países, ele reafirma que seu plano de 'Make America Great Again' sempre foi sobre tornar os Estados Unidos brancos novamente", disse ela no Twitter.

Leia também: 'Espero que Argentina reflita sobre visita de candidato a Lula', diz Bolsonaro

"Sr. Presidente ”, respondeu Ocasio-Cortez no Twitter,“ o país de onde eu venho e o país a que todos juramos, são os Estados Unidos. Mas dado como destruiu nossa fronteira com campos desumanos, tudo em um benefício para você e para o corpo que lucra com eles, você está absolutamente certo sobre a corrupção colocada a seus pés. ”

    Leia tudo sobre: donald trump