Tamanho do texto

Representantes de Maduro e Guaidó se reuniram em Barbados

Venezuela arrow-options
Reprodução/Twitter/NicolasMaduro
Integrantes da comitiva do presidente Maduro se reuniram com representantes de Guaidó

O governo da Venezuela e a oposição concordaram em estabelecer um grupo de trabalho permanente para tentar resolver a crise política, após concluir uma rodada de negociações em Barbados, nesta quinta-feira (11).

Leia também: Se for embaixador, Eduardo Bolsonaro quer "dar tiros" com Olavo de Carvalho

Representantes do presidente Nicolás Maduro e do líder da oposição Juan Guaidó — reconhecido como presidente interino da Venezuela por mais de 50 países, incluindo o Brasil — se reuniram em Barbados desde a última segunda-feira (8), como parte das negociações iniciadas em maio em Oslo, na Noruega.

“Como parte deste processo, instalou-se uma mesa que irá trabalhar de forma rápida e contínua, a fim de chegar a uma solução acordada no marco das possibilidades oferecidas pela Constituição ”, afirmou em nota o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Noruega, que media as negociações . “Está previsto que as partes façam consultas para avançar na negociação”.

Na nota, o governo norueguês instou as partes a tomarem extrema cautela em seus comentários e declarações sobre o processo . Horas antes, o ministro da Informação, Jorge Rodriguez, que liderou a delegação do governo , confirmou que a rodada de negociações de Barbados havia sido concluída.

“O povo venezuelano precisa de respostas e resultados”, escreveu, por sua vez, Stalin González, legislador e membro da delegação da oposição no Twitter após a declaração da Noruega. “Nossa delegação realizará consultas para avançar e acabar com o sofrimento dos venezuelanos”.

Leia também: Nepotismo? Juristas divergem sobre legalidade de indicação de Eduardo Bolsonaro

Diosdado Cabello, nome forte do governo de Maduro , rejeitou na quarta-feira a ideia de que qualquer eleição presidencial estava em andamento.

"Aqui não há eleições presidenciais; aqui o presidente se chama Nicolas Maduro", disse durante uma transmissão televisionada.