Tamanho do texto

Chanceler diz que está bem e que sua saúde não é motivo de preocupações

Angela Merkel
Presidencia de la Republica Mexicana - 12.04.2016
Angela Merkel

A chanceler alemã, Angela Merkel, apareceu tremendo pela terceira vez em 22 dias. A premier, contudo, insiste que está bem e que seu estado de saúde não deve gerar preocupações. "Eu estou bem, não é preciso se preocupar", disse Merkel, que completará 65 anos na semana que vem, em uma coletiva de imprensa.

Leia também: Morre, aos 81 anos, o ex-presidente da Argentina Fernando de la Rúa

Nesta quarta-feira, Merkel sofreu novos tremores enquanto participava da cerimônia de recepção ao primeiro-ministro finlandês, Antti Rinne, em visita na capital alemã. "A chanceler está bem e as conversas com o primeiro-ministro finlandês avançaram conforme o planejado", disse um porta-voz do governo alemão após o incidente. 

No dia 18 de junho, durante um evento a céu aberto na visita de Estado do presidente ucraniano Volodymyr Zelenskiy, Merkel teve tremores públicos pela primeira vez. Na ocasião, culpou as altas temperaturas e disse que se sentiu melhor após se hidratar.

Na semana seguinte, a premier teve um novo episódio durante uma cerimônia de despedida para a ministra Katarina Barley, que se tornou deputada do Parlamento Europeu. Após o evento, Merkel continuou com seu cronograma, viajando para o Japão para participar da cúpula do G-20. A Chancelaria alemã não dá explicações sobre a causa dos tremores de Merkel, que nunca teve nenhum problema grave de saúde.

A premier é conhecida por seu comprometimento com o trabalho e por sua capacidade de discutir detalhes importantes até mesmo de madrugada. Ela chegou ao poder em 2005, guiou a União Europeia pela crise do euro, impondo políticas de austeridade aos países mais afetados, e abriu as portas da Alemanha para os imigrantes que fugiam do Oriente Médio — algo que até hoje gera polêmica no bloco europeu e em seu próprio partido.

Leia também: Trump chama embaixador britânico de 'muito estúpido' e 'idiota pomposo'

Merkel foi reeleita pela quarta vez nas eleições gerais do ano passado e, logo em seguida, anunciou que não buscará um quinto mandato em 2021. Ela renunciou em dezembro de 2018 à liderança de seu partido, a União Democrata Cristã (CDU), e foi substituída por Annegret Kramp-Karrenbauer.