Tamanho do texto

Homens estão oferecendo dinheiro a mulheres pobres para que vendam os seus filhos; também foram denunciados alguns casos de roubo de crianças

migrantes
Reprodução/Somos el Medio
Migrantes mexicanos tentam entrar nos Estados Unidos

Segundo relatado por diretores de refúgios para migrantes e autoridades policiais do estado de Tijuana, no México, alguns homens estão oferecendo dinheiro para mulheres pobres em condição vulnerável para que vendam seus bebês, e que esses sejam usados para facilitar a entrada nos Estados Unidos.

Leia também: Capitã presa por transportar migrantes disse temer suicídio em massa

Segundo informação do jornal mexicano La Jornada e da agência alemã DPA , alguns homens migrantes com melhores condições financeiras têm oferecido dinheiro às mulheres migrantes solteiras e com filhos que vivem nos refúgios. Acreditam que, ao levar uma criança pequena, aumentam as possibilidades de uma entrada mais segura nos Estados Unidos.

Também foram denunciados casos de homens que roubaram as crianças, especialmente das mulheres que participam de caravanas migratórias provenientes da América Central, segundo as autoridades fronteiriças estadunidenses, que passaram a trabalhar junto com a polícia de Tijuana.

Leia também: Migrantes desembarcam na Itália, mas capitã de navio é presa

Segundo o La Jornada , alguns passos fronteiriços mantém os migrantes capturados na fronteira com filhos detidos somente por alguns dias, e depois são liberados, enquanto os adultos solteiros podem passar meses na prisão até que se determine o seu destino, que pode ser a liberdade ou a deportação.

Tal situação tem piorado bastante a vida das mulheres solteiras em Tijuana. A hondurenha Antonia Portillo Cruz, que vive em Tijuana, diz que “não posso trabalhar, porque sou mãe solteira e não tenho com quem deixar meus filhos , e não posso deixá-los sozinhos, pelo medo de que sejam roubados”.

Leia também: Crianças migrantes que estavam em condições alarmantes nos EUA são transferidas

Ela também relata que já viu alguns homens abordando outras mulheres no refúgio de migrantes e tentando comprar crianças, mas que nenhum chegou a falar diretamente com ela sobre isso. Segundo Antonia, as ofertas variam em torno dos 350 dólares.