Ataque seria resposta ao abate de um drone americano feito pelo governo do Irã
Divulgação
Ataque seria resposta ao abate de um drone americano feito pelo governo do Irã

Em uma série de tuítes na manhã desta sexta-feira (21), o presidente Donald Trump disse que  suspendeu o ataque em retaliação ao abate de um drone americano no Irã no Golfo Pérsico dez minutos antes de seu início, após considerar a resposta "desproporcional". Segundo Trump, a estimativa dos militares americanos era que 150 pessoas perdessem suas vidas nos bombardeiros. O líder americano também declarou que os Estados Unidos aplicaram novas sanções ao país persa, mas não deu maiores detalhes sobre quaisa seriam.

"Na segunda-feira, eles  derrubaram um drone não tripulado que sobrevoava águas internacionais. Nós estávamos armados e prontos para retaliar na noite passada em três frentes diferentes quando eu perguntei quantos morreriam. 150 pessoas, senhor, respondeu um general. Dez minutos antes, eu parei o ataque, desproporcional ao abate de um drone não tripulado", disse Trump .

"Eu não tenho pressa, nossas forças armadas foram reconstruídas, estão novas e prontas, de longe as melhores do mundo. As sanções já são penetrantes e outras foram aplicadas nesta noite. O Irã nunca poderá ter armas nucleares, não contra os Estados Unidos e nunca contra o mundo!", completou.

Pouco antes dos comentários do presidente americano, o governo iraniano divulgou imagens do que alega ser destroços do drone americano derrubado na véspera e afirmou que emitiu dois alertas antes de abater o equipamento americano. 

Segundo o New York Times , navios e aviões americanos já estariam a postos quando Trump interrompeu a ofensiva. De acordo com a Reuters, Teerã chegou a receber um alerta de bombardeio americano durante a madrugada. Como o país persa e os americanos não têm relações diplomáticas, foi necessária intermediação do governo de Omã. 

Leia também: Johnson e Hunt vão para votação final: quem será o próximo premier britânico?

"Em sua mensagem, Trump disse que era contra uma guerra com o Irã e que gostaria de conversar com Teerã sobre uma série de assuntos. Ele deu um breve período de tempo para que nós respondêssemos, mas o retorno imediato foi que decisões sobre esse assunto são responsabilidade do aiatolá Ali Khamenei (líder supremo do Irã)", disse um funcionário à Reuters, em condição de anonimato.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários