Tamanho do texto

Ex-prefeito de Londres recebe 114 votos na primeira votação do Partido Conservador; Hunt e Gove ficam em 2º e 3º; três são eliminados

Boris Johnson
undefined
Boris Johnson confirma favoritismo e larga na frente na disputa pelo cargo de primeiro-ministro

O ex-prefeito de Londres Boris Johnson , que prometeu retirar o Reino Unidoda União Europeia em 31 de outubro, saiu na frente na disputa pela sucessão de Theresa May no comando do Partido Conservador e, por consequência, no cargo de primeiro-ministro do Reino Unido. Na primeira rodada de votação da legenda, Johnson, que também ocupou o cargo de chanceler, recebeu 114 votos, 71 a mais do que o segundo colocado, Jeremy Hunt, atual ministro de Relações Exteriores, com 43.

Leia também: Governo britânico aceita extraditar Assange para os EUA

Em seguida aparecem o ministro do Meio Ambiente, Michael Gove (com 37 votos), o ex-ministro para a Saída da União Europeia Dominic Raab (27), o ministro do Interior Sajid Javid (23), o ministro da Saúde Matt Hancock (20), e o ministro do Desenvolvimento Internacional Rory Stewart (19).

A votação, realizada na Câmara dos Comuns, também eliminou três candidatos que não alcançaram o mínimo de 17 votos: a ex-líder do governo no Parlamento Andrea Leadsom (11), o ex-ministro da Imigração Mark Harper (10) e a ex-ministra do Trabalho Esther McVey (9). Um total de 313 parlamentares participaram da votação.

"Estou feliz por ter vencido a primeira votação, mas ainda temos um longo caminho pela frente", disse Johnson .

Três anos depois de o Reino Unido optar pela saída da União Europeia por 52% dos votos contra 48% em um referendo, o país caminha para uma possível crise em relação ao Brexit , já que a maioria dos candidatos que desejam suceder May está preparada deixar o bloco sem um acordo. Mas o Parlamento britânico já indicou que tentará frustrar uma saída unilateral, que, segundo os investidores, provocaria ondas de choque nos mercados financeiros e na economia mundial.

Os parlamentares conservadores realizarão novas votações em 18, 19 e 20 de junho, e os dois mais bem colocados disputarão a preferência dos filiados do partido, provavelmente no fim do mês. O nome do sucessor de Theresa May deve ser anunciado na semana de 22 de julho.

Polêmico, famoso pelas gafes e sempre despenteado, Johnson rompeu com a primeira-ministra por discordar de sua abordagem nas negociações do Brexit . Ele foi um dos principais cabos eleitorais da campanha para tirar o país da União Europeia e ameaça sair do bloco sem acordo e sem pagar as 39 bilhões de libras esterlinas acordadas entre Londres e Bruxelas.

Leia também: Trump diz que pesquisas que o mostram em segundo lugar são "fake news"

O ex-chanceler foi o último a apresentar candidatura. Ele lançou sua campanha na quarta-feira, num ato repleto de figuras do alto escalão do Partido Conservador , dizendo que, embora não desejasse um Brexit sem acordo, iria se preparar “vigorosa e seriamente” para, se necessário, deixar a União Europeia sem um pacto de saída caso seja o próximo premier. Na ocasião, ele se esquivou de responder sobre ter experimentado cocaína , o que já admitira no passado.

Para as casas de apostas, Boris Johnson teria 70% de chances de ser o próximo premier britânico.