Tamanho do texto

Até o momento, 95 corpos já foram encontrados, mas número de vítimas ainda pode aumentar; autoria do massacre ainda não foi reivindicada

Vilarejo queimado no centro do Mali
Reprodução/TV5 Monde
Casas foram queimadas em ataque a vilarejo

Ao menos 95 pessoas foram mortas por homens armados em um vilarejo no Mali, na madrugada desta segunda-feira (10). O número de vítimas ainda pode aumentar, pois há pessoas desaparecidas e a busca por corpos continua em andamento. Inúmeras casas foram queimadas no massacre e a vila ficou completamente destruída.

Leia também: Homens que estupraram e mataram menina são condenados à prisão perpétua na Índia

Os habitantes de Sobane Kou, no centro do Mali, eram da etnia dogom. A autoria do ataque ainda não foi reivindicada, mas a suspeita é de que o massacre tenha sido realizado por pessoas da etnia fulani , uma vez que em março deste ano, 150 fulani foram vítimas dos dogom .

O presidente do Mali , Ibrahim Boubacar Keïta, estava em viagem quando o ataque ocorreu, mas lamentou a situação em entrevista e pediu que o país se una e não se renda ao ciclo de vingança. “A sobrevivência do país está em jogo”, disse.

Leia também: Polícia do Irã fecha mais de 500 cafés e restaurantes por "libertinagem"

O massacre desta semana não foi inédito. No centro e no norte do Mali os confrontos étnicos são recorrentes, com episódios de violência ligados a grupos jihadistas e a milícias. De acordo com um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU), estes casos de violência já deixaram 250 mortos entre janeiro e maio deste ano.