Tamanho do texto

Melanina Geymonat e Chris contaram que foram atacadas dentro de ônibus depois de se recusarem a dar um beijo, como os adolescentes pediram; veja

A polícia britânica deteve cinto adolescentes suspeitos de agredir um casal lésbico  dentro de um ônibus em Londres. De acordo com a uruguaia Melania Geymonat, ela e Chris foram atacadas depois de se recusarem a dar um beijo, como eles queriam.

Melanie e Chris
Reprodução/Facebook Melanie Ps
Melanie e Chris


"Eles [os adolescentes] se levantaram de seus assentos e foram até onde estávamos e começaram a nos atacar. Um deles ficou algumas fileiras atrás e ficava jogando moedas na gente", disse Chris. Os presos têm entre 16 e 18 anos.

Leia também: Comissão de Direitos Humanos da Câmara aprova criminalização da homofobia

O casal lésbico foi agredido na quarta-feira (29), mas o assunto chegou à mídia uma semana depois, quando Geymonat fez um post em uma rede social. "Inicialmente Melania estava tentando apaziguar a situação. Ela estava sendo amigável, mas tentando mantê-lo à distância. Depois que eu percebi que um deles estava jogando moedas, levantei, me virei e falei com ele", disse Chris.

Além de espancá-las, os homens também roubaram seus pertences em Londres . Quando a polícia chegou, eles não estavam mais no local. “O que mais me chateia é que a violência virou uma coisa comum, que às vezes é necessário ver uma mulher sangrando depois de ser espancada para que algum tipo de impacto seja sentido”, desabafou Melanie.

Leia também: Veja cinco argumentos a favor da criminalização da homofobia no Brasil

O líder do Partido Trabalhista, Jaremy Corbyn, reagiu ao ataque ao casal lésbico em seu Twitte. “Nós não podemos, e não vamos, aceitar esta violência homofóbica e misógina na nossa sociedade. Solidariedade a Melania e Chris, e a todos os membros da comunidade LGBT+ por tudo que eles suportam por simplesmente ser quem são”, disse.