Tamanho do texto

Desaparecidos fazem parte de uma equipe maior de 12 pessoas que partiu da vila de Munsiyari em 13 de maio

Himalaia
shutterstock
Alpinistas seguem desaparecidos no Himalaia


Equipes de emergência buscam sete alpinistas — quatro britânicos, dois americanos e um australiano —, além de um guia indiano, desaparecidos no Himalaia , neste sábado. Eles tentavam chegar ao pico Nanda Devi East, um dos mais altos da Índia , com 7.826 metros. Neste sábado, três equipes de busca chegaram ao primeiro acampamento base, 25 quilômetros abaixo do pico. Outra equipe, com suprimentos médicos e civis, também está a caminho. Espera-se que uma aeronave militar seja enviada no domingo para ajudar no esforço de resgate. 

Leia também: Mais dois alpinistas morrem no Everest; Número sobe para dez na temporada

Os desaparecidos fazem parte de uma equipe maior de 12 pessoas que partiu da vila de Munsiyari em 13 de maio. Mas, 12 dias depois, no último dia 25, apenas quatro do grupo retornaram ao acampamento-base. O mau tempo no Himalaia , com chuvas pesadas e nevasca, dificulta as buscas.

O guia indiano que está entre os desaparecidos faz parte da fundação Indiana Mountaineering, com sede em Nova Delhi. O Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido afirmou em comunicado que está em contato com as autoridades indianas. Já o Departamento de Relações Exteriores e Comércio da Austrália disse que está "fornecendo assistência consular para a família de um australiano que pode estar entre um grupo de montanhistas desaparecidos na área de Nanda Devi, na Índia".

Leia também: Alpinista de 85 anos morre ao tentar bater recorde no Monte Everest

Pelo menos 11 pessoas morreram nesta temporada de escaladas no monte Everest , montanha que fica na fronteira entre o Nepal e o Tibet. A maioria das mortes foi atribuída ao cansaço dos alpinistas — piorado, segundo os mais experientes, devido à superlotação no caminho de subida e descida do topo do Himalaia .