Tamanho do texto

Dois meses depois das eleições em Israel, o atual primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu ainda não conseguiu formar um novo governo

Benjamin Netanyahu
Alan Santos/PR
Primeiro-Ministro de Israel, Benjamin Netanyahu é o encarregado de formar um novo governo

Após quase dois meses de impasse, podem ser realizadas novas eleições em Israel, devido às dificuldades do primeiro-ministro encarregado Benjamin Netanyahu para formar um governo.

No poder desde 2009, o líder conservador  sagrou-se vencedor das eleições em Israel  que aconteceram no dia 9 de abril. Netanyahu, no entanto, não obteve maioria no Parlamento e, por isso, precisa fazer acordos com outras siglas. Seu partido, o Likud, garantiu 35 dos 120 assentos do Knesset, assim como a coalizão centrista Azul e Branco, de Benny Gantz.

Leia também: Bolsonaro parabeniza Netanyahu por vitória em Israel: "Bibi é um grande líder"

Netanyahu foi encarregado de formar o governo porque, juntos, os partidos de direita e ultraortodoxos somam 65 cadeiras no Parlamento, mas as negociações esbarraram no ex-ministro da Defesa e ultranacionalista laico Avigdor Lieberman.

O líder do partido Yisrael Beiteinu é a favor de um projeto de lei que estende o serviço militar obrigatório aos ultraortodoxos, mas os políticos que representam essa vertente do judaísmo exigem a manutenção da isenção, que vigora desde a fundação de Israel .

Leia também: Embaixador de Israel diz que Brasil precisa melhorar segurança

O presidente Reuven Rivlin deu prazo até esta quarta-feira (29) para Netanyahu formar um governo, e o Parlamento já aprovou em primeira leitura uma lei que prevê a convocação de eleições antecipadas. O texto ainda precisaria passar por mais duas votações, e aconteceriam novas eleições em Israel  em setembro.