Tamanho do texto

Francisco I disse que a reação para lidar com as migrações nos dias de hoje deve se resumir a quatro verbos: acolher, proteger, promover e integrar

Papa Francisco
Agência Ansa
Papa Francisco pede mais tolerância e menos racismo com imigrantes


O papa Francisco fez um apelo contra o racismo e a intolerância aos imigrantes nesta segunda-feira (27). O líder católico aproveitou o anúncio da  Jornada do Migrante e do Refugiado, que será celebrada em 29 de setembro.

Leia também: Líder indígena brasileiro Raoni é recebido pelo papa Francisco no Vaticano

"Não se trata somente dos imigrantes, mas também dos nossos medos. O problema não  é ter receios ou temores, e sim, tornar-se intolerante, fechado, e até racista", alertou o líder católico. O racismo é um dos maiores combates da Igreja desde que Francisco assumiu o papado.

De acordo com o Papa , a questão imigratória fala sobre a própria "humanidade" e a falta de "compaixão, um sentimento que não se explica somente a nível racional".

Leia também: Bispo de Limeira acusado de acobertar assédio tem renúncia aceita pelo Papa

"A compaixão toca as cordas mais sensíveis da nossa humanidade, provocando um impulso urgente de 'estar próximo' de quem vemos em dificuldade", comentou. "Como Jesus ensinava, ter compaixão significa reconhecer o sofrimento do outro e passar à ação para acalmar, curar e salvar", ressaltou Francisco.

Francisco I disse que a reação para lidar com as migrações nos dias de hoje deve se resumir a quatro verbos: acolher, proteger, promover e integrar. Neste ano, a Jornada do Migrante e do Refugiado terá como tema "Não se trata apenas de migrantes".

Leia também: Papa Francisco torna obrigatórias denúncias de casos de abusos

A mensagem do Papa coincidiu com a divulgação dos resultados das eleições europeias, os quais apontam para um crescimento dos partidos nacionalistas no Parlamento Europeu. Há temor sobre aumento de racismo no continente.