Tamanho do texto

A Igreja Católica do Sri Lanka foi alvo de uma série de atentados terroristas no domingo de Páscoa; a nova proibição se dá por medo de novos ataques

Igreja católica no Sri Lanka destruída após atentado
Reprodução/EuroNews
Atentados em igrejas e hotéis do Sri Lanka deixaram mais de 200 mortos

A Igreja Católica do Sri Lanka decidiu não autorizar a retomada esta semana da missa de domingo por temer novos ataques no país, anunciou um porta-voz do arcebispo da cidade de Colombo. O porta-voz do cardeal Malcolm Ranjith disse hoje que a Igreja Católica do Sri Lanka recebeu "informações específicas sobre dois possíveis ataques às igrejas" e decidiu não permitir celebrações em 5 de maio.

Leia também: Sri Lanka proíbe roupas e véus que cobrem rosto

Na semana passada, os muçulmanos foram aconselhados a ficar em casa para as orações de sexta-feira e todas as igrejas católicas do Sri Lanka foram fechadas. Em vez da habitual missa de domingo, Ranjith fez uma homilia diante do clero e dos líderes nacionais em sua residência, cerimônia que foi transmitida pela televisão.

Os ataques cometidos no domingo de Páscoa mataram 257 pessoas, de acordo com novo balanço anunciado nesta quinta-feira (2) pelas autoridades, que alertaram que esse número poderá aumentar.

Leia também: Ciclone mata mais 30 pessoas em Moçambique e deixa rastro de destruição

"O saldo está agora em 257 mortos", disse à agência de notícias francesa AFP o diretor-geral de Serviços de Saúde do Sri Lanka , Anil Jasinghe. O balanço anterior era de 253 mortos. Segundo, Jasinghe, "esse aumento é devido a mortes hospitalares, então são pelo menos 257.