Tamanho do texto

Em discurso de comemoração do Dia do Trabalhador, presidente da Venezuela também voltou a celebrar vitória contra ‘golpistas’ e a atacar opositores e EUA por tentativa de levante de terça-feira

nicolás maduro
Reprodução/Twitter
Nicolás Maduro ressalta os valores deixados pelo ex-presidente Hugo Chávez

O presidente da Venezuela , Nicolás Maduro, convocou nesta quarta-feira os venezuelanos a desenhar “um grande plano de mudança” nos próximos dias 4 e 5 de maio, na esteira da tentativa de um levante contra ele liderada pelo presidente da Assembleia Nacional Juan Guaidó na véspera. 

LEIA MAIS: Crise na Venezuela: entenda como foi o Dia do Trabalhador no país

Em discurso durante evento de comemoração do Dia do Trabalhador na capital Caracas, Maduro afirmou que a proposta inclui o Congresso — sem especificar se a Assembleia Nacional Constituinte liderada por seu aliado Diosdado Cabello ou a Assembleia Nacional presidida por Guaidó —, seu partido e os governadores locais.

LEIA MAIS: Em discurso, Guaidó cita Chapolim: "Não contavam com minha astúcia" 

— Todos os dias penso como podemos melhorar, que coisas temos que mudar, que estamos fazendo mal — disse. — Quero convocar uma grande jornada de diálogo e propostas para que digam a este governo o quê que tem que ser mudado.

LEIA MAIS: EUA dizem estar preparados para intervenção militar na Venezuela

Maduro também voltou a celebrar o que classifica como “vitória” contra “golpistas” nos comflitos desta terça-feira, felicitando seus apoiadores pelo “dia que a classe operária derrotou novamente um golpe de Estado”.

— Não puderam com (Hugo) Chávez (falecido líder venezuelano) e tampouco puderam conosco — afirmou Maduro sobre o que disse ser um “complô” da direita para derrubá-lo. — Eles esqueceram que há uma poderosa união cívico-militar que não se enfraqueceu.