Tamanho do texto

Teto de madeira e parte da abóbada da construção ruíram durante incêndio que durou mais de nove horas; bancos e adornos da parte baixa resistiram

Catedral de Notre-Dame
Christophe Castaner/Divulgação
Foto divulgada por ministro francês mostra entulho no altar da Catedral de Notre-Dame

Construída ao longo de 180 anos, a Catedral de Notre-Dame, em Paris, viu seus mais de oito séculos de história serem ameaçados por chamas que consumiram grande parte da estrutura  durante nove horas nessa segunda-feira (15).

Nesta terça, redes de televisão francesas e canais oficiais de autoridades divulgaram fotos e vídeos que mostram a destruição no interior da Catedral de Notre-Dame , um dos principais cartões postais de Paris e a mais imponente expressão da arte gótica que se impôs à barbárie em meados do século 12.

As imagens mostram que a estrutura interna da construção resistiu bem ao fogo, assim como também se mantiveram quase incólumes bancos, altares e outros adornos que estavam na parte baixa da catedral. Uma vez que o fogo começou na parte superior do prédio, todo o teto de madeira e parte da abóbada foram destruídos durante o incêndio, que ainda provocou a queda da torre mais alta da catedral.

As causas do incêndio ainda são investigadas . O presidente francês, Emmanuel Macron, prometeu reconstruir a Catedral de Notre-Dame, e várias  famílias ricas já realizaram doações para esse projeto, que já arrecadou mais de R$ 2 bilhões somente nesta terça-feira.

Confira abaixo os vídeos e fotos da Catedral de Notre-Dame após o incêndio:






Leia também: Incêndio em Paris: relembre outros patrimônios culturais destruídos pelas chamas

Ministro francês Christophe Castaner
Christophe Castaner/Divulgação
Ministro francês Christophe Castaner divulgou foto no interior da Catedral de Notre-Dame


















Imagens mostram ação dos bombeiros durante incêndio na Catedral:

Catedral de Notre-Dame
Divulgação/Bombeiros de Paris
Incêndio começou na parte superior da Catedral de Notre-Dame






















    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.