Tamanho do texto

Isabella Hurtado, de 26 anos, estava desaparecida há uma semana e sendo procurada pela família; mulher foi encaminhada ao hospital para tratamento

brasileira torturada méxico
Reprodução/Redes Socias
Brasileira morava há 10 anos no México e estava desaparecida desde terça da semana passada

Uma brasileira de 26 anos foi encontrada amarrada e com sinais de agressão na cidade de Aguamilpa, no México, nesta terça-feira (2). A arquiteta Isabella Hurtado estava desaparecida há uma semana e estava sendo procurada pela família, que viajou de Fernandópolis, em São Paulo, até o México para acompanhar as buscas.

Leia também: Agente de trânsito é agredida após aplicar multa no ABC; assista

Isabella morava há 10 anos no país e desapareceu no dia 27 de março em Tepic, cidade onde mora e que fica a 120 quilômetros de Aguamilpa. De acordo com a imprensa mexicana, a polícia chegou ao local por meio de uma ligação anônima que desconfiava da presença da  brasileira no sítio onde foi encontrada.

Segundo relatório, a vítima teria saído de casa por volta das 19h em uma motocicleta, na semana passada, e rendida por, pelo menos, quatro ladrões, que a colocaram em uma van e amarraram suas mãos e pés. Isabella ainda teria sido espancada e questionada sobre como conseguia ganhar o dinheiro que tinha. Os assaltantes levaram sua mochila, dinheiro e credenciais.

Leia também: Mulher é presa após torturar filhos para que aparecessem em vídeo do You Tube

A imprensa do México  informou algumas horas depois do ocorrido que, há uma semana, a mulher era vista andando de moto na companhia de um homem nas proximidades de Los Sauces. Após encontrada, Isabella foi encaminhada a um hospital para que recebesse atendimento médico. O quadro clínico é estável apesar dos sinais de tortura .

Leia também: Professora é agredida ao impedir fixação de faixa que agradecia vereador de GO

Em nota, o Itamaraty informou ter conhecimento do ocorrido e garantiu que prestará assistência à família da brasileira por meio do Consulado-Geral do Brasil no México.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.