Tamanho do texto

Em depoimento na Câmara dos Representantes dos EUA, Michael Cohen disse que presidente norte-americano sabia de roubo de e-mails de Hillary

Cohen disse que Donald Trump mentiu ao negar que não participou das negociações para a construção de um hotel em Moscou
Reprodução/The White House
Cohen disse que Donald Trump mentiu ao negar que não participou das negociações para a construção de um hotel em Moscou

O ex-advogado pessoal do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fez uma série de declarações polêmicas nesta quarta-feira (27) contra o republicano. Durante depoimento à Câmara dos Representantes, Michael Cohen chamou Trump de "racista, vigarista e trapaceiro", além de apontar episódios em que o milionário teria pedido para que ele mentisse.

Leia também: Trump diz que sofreu "ataque racista" de cineasta negro durante o Oscar

Na terça-feira (26), Cohen passou mais de 9 horas dando esclarecimentos ao Senado. O advogado, que representou Donald Trump entre os anos de 2007 e 2017, foi condenado a três anos de prisão por evasão fiscal, falso testemunho ao Congresso e violação da lei eleitoral. No entanto, ele fez um acordo de delação premiada e tem colaborado com a Justiça. As falas de Cohen fizeram Washington parar nesta quarta-feira.

De acordo com ele, que foi expulso da Ordem dos Advogados de Nova York, Trump sabia que, durante a campanha eleitoral à Presidência, colegas estariam negociando com o WikiLeaks o vazamento de e-mails que prejudicariam a adversária Hillary Clinton . Cohen também disse que Trump mentiu ao negar que não participou das negociações para a construção de um hotel em Moscou - o advogado alega que ele cuidou pessoalmente do projeto.

Leia também: Em dia de cúpula entre os EUA e a Coreia do Norte, Maduro abre diálogo com Trump

Cohen contou ainda que o republicano teria pedido para ele mentir para a primeira-dama, Melania Trump. Aos parlamentares, ele apresentou recebidos dos reembolsos dos US$ 130 mil que recebeu para comprar o silêncio da atriz pornô Stormy Daniels, com quem o presidente teria mantido relações. "Mentir para a primeira-dama é uma das coisas das quais mais me arrependo, porque ela é uma boa pessoa", disse o ex-advogado.

Leia também: Vietnã expulsa sósia de Kim Jong-un antes de reunião do norte-coreano com Trump

Cohen também contou que Donald Trump teria se aproveitado de uma desculpa médica falsa para evitar ser enviado à Guerra do Vietnã, em 1968. Por sua vez, o presidente dos EUA, que está em Hanói, no Vietnã, neste momento para uma reunião com o líder norte-coreano, Kim Jong-um, criticou Cohen. Trump disse que o ex-advogado estaria "mentindo" para obter uma redução de sua pena.

* Com informações da Ansa

    Leia tudo sobre: Donald Trump