Tamanho do texto

Manifestantes que estavam do lado brasileiro na fronteira com a Venezuela, atiraram pedras contra os militares, que responderam com bombas e tiros

Manifestantes montaram barricadas na cidade de Ureña, na fronteira da Venezuela com a Colômbia
Reprodução/TVVenezuela Noticias
Manifestantes montaram barricadas na cidade de Ureña, na fronteira da Venezuela com a Colômbia

Na tarde deste domingo (24), iniciou-se mais um conflito entre manifestantes e o Exército venezuelano, na fronteira entre o Brasil e a Venezuela. Os cidadãos venezuelanos que estavam do lado brasileiro da fronteira atiraram pedras contra os militares, que revidaram com bombas de gás lacrimogêneo e tiros -- não se sabe ainda se de arma de fogo ou de balas de borracha.

Leia também: Dois militares venezuelanos desertam pela fronteira com o Brasil

As Forças Armadas venezuelanas também receberam reforços de carros blindados. Os militares da Venezuela chegaram muito perto da linha que divide os países e direcionaram as bombas e os tiros para além da fronteira, ou seja, para dentro do território brasileiro.

Neste domingo, mais uma ambulância entrou no Brasil por Pacaraima (RR) trazendo três feridos por arma de fogo, de acordo com o motorista do veículo. Ontem (23), 13 pessoas foram trazidas para o Brasil para receber atendimento médico. Pelo menos um estava ferido por arma de fogo.

Os venezuelanos que estão protestando gritam palavras de ordem contra o governo de Nicolás Maduro e tentaram montar uma barricada, ateando fogos em pneus. Novas bombas de coquetel molotov começaram a ser fabricadas, mas nenhuma foi atirada.

Leia também: Governo brasileiro condena confrontos na fronteira da Venezuela

"Não disparem contra o povo venezuelano que quer a libertação de seu país!" gritava uma manifestante.

Militares do Exército brasileiro atuam deste lado da fronteira tentando apaziguar a situação e orientando os venezuelanos a saírem da área de confronto. As Forças Armadas do Brasil afirmaram que farão um cordão de segurança a alguns metros da fronteira para evitar novos confrontos.

Neste sábado (23), a situação na divisa entre Venezuela e Brasil estava tensa. Manifestantes chegaram a atacar uma base do Exército venezuelano com coquetéis molotov. Os militares revidaram com bombas de gás e tiros. Três pessoas morreram em decorrência dos conflitos.

Na fronteira com a Colômbia os confrontos estavam ainda mais intensos. Segundo o governo colombiano, 285 pessoas ficaram feridas. A Colômbia anunciou inclusive o fechamento do seu lado da fronteira para avaliar e reparar os estragos causados pelos incidentes de sábado. O fechamento deve se manter pelo menos até segunda-feira (25).