Tamanho do texto

Leandro e Fabrício começaram a subida no dia 16 de janeiro e estão desaparecidos desde a última sexta, quando uma frente fria atingiu o local

Os escaladores estão desaparecidos desde o dia 19, quando foram vistos pela última vez
Reprodução
Os escaladores estão desaparecidos desde o dia 19, quando foram vistos pela última vez

Dois escaladores brasileiros estão desaparecidos depois de saírem para subir o Monte Fitz Roy, no Parque Nacional Los Glaciares, na região da Patagônia Argentina. A dupla começou a subida no dia 16 de janeiro e foi vista pela última vez na sexta-feira (19).

Leia também: Cabo Verde anula sentença de brasileiros presos com 1 tonelada de cocaína

Os desaparecidos são o capixaba Fabrício Amaral, de 42 anos, e o mineiro Leandro Ianotta. De acordo com a irmã de Fabrício, Luciana Amaral, eles começaram a escalada no dia 16 e entraram em contato com a família um dia antes. Outro grupo de escaladores afirmou que viu os dois pela última vez na sexta. 

Leandro e Fabrício avisaram a família que retornariam no domingo, mas não apareceram. O vice-presidente da Confederação Brasileira de Montanhismo e Escalada, Natan Fabrício, informou que uma equipe de busca foi enviada ao local na segunda-feira, mas um dos membros se acidentou gravemente e o grupo precisou voltar.

No primeiro dia de subida, Leandro publicou uma foto nas redes sociais e relatou que a primeira experiência foi incrível, mas um vento forte fez com que eles descessem e esperassem para continuar a caminhada. 

Leia também: Equipes iniciam perfuração para salvar garoto de 2 anos preso em poço há 6 dias

Visualizar esta foto no Instagram.

Fitz Roy/El chalten/Patagônia A primeira investida foi incrível, caminhada longa por trilha, atravessar um glaciar até o "Passo Superior" para depois escalarmos a Brecha dos Italianos, aprox. 250 metros de neve e rocha até a Silla, foi difícil identificar a base da via Franco Argentina e com o vento forte que vinha do Cerro Torre, decidimos descer e esperar a próxima Janela, aprendendo a cada dia e em quanto isso, sigo pedindo ao Anjo da guarda escalador uma força! Vamooo Fotos e vibe Fabrício "Amaral" @decathlonbelohorizonte @simondchamonix @4climb @mracaicastelo #fãdeesporte #souesportista #climb #climbing #climbing_worldwide #climbingmountains #montain #climbingwall #tradicionalclimbing #climbingtrip #escalada #escaladanogelo #escaladanofrio #escaladanovento #escaladademontanha #elchalten #parquenacionallosglaciaresargentina #patagonia #fitzroy #mrbean #mrguia #decathlon #simond #simondbh #obrigadorere #obrigadoleozinho #vivaoclimb

Uma publicação compartilhada por Leandro Iannotta...Mr.Bean (@leandroiannotta) em




























De acordo com Natan, as buscas estão suspensas devido ao mal tempo, por conta de uma frente fria que atingiu o monte Fitz Roy na sexta-feira. Ele explicou que os dois brasileiros têm boa experiência em escalada, porém, o local onde eles desapareceram é de difícil acesso. 

"Difícil acesso, difícil escalada. Não é fácil chegar”, afirmou. A expectativa dos amigos e da família é que uma janela se abra, termo utilizado para definir o momento em que o tempo ruim cessa e surge um intervalo de três ou quatro dias de tempo bom.

Leia também: Homem mais velho do mundo morre aos 113 anos no Japão

O Ministério das Relações Exteriores informou, por meio de nota, que o Consulado brasileiro em Buenos Aires está acompanhando as buscas e em contato com a família dos escaladores para prestar assistência consular cabível.

*Com informações da Agência Brasil




    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.