Tamanho do texto

Primeira-ministra sofreu derrota significativa em votação no Parlamento britânico na última semana e chegou a correr risco de perder o cargo

Theresa May deve apresentar
Andy Rain/Agência Lusa/EPA/Direitos Reservados
Theresa May deve apresentar "plano B" para o Brexit nesta segunda-feira

A primeira-ministra britânica, Theresa May, rejeito nesta segunda-feira adiar o Brexit, acordo para o Reino Unido sair da União Europeia (UE), que está previsto para o dia 29 de março. Ela intensificou as conversas com os parlamentares em busca de consenso para aprovar a alternativa e pediu aos colegas ideias para apresentar à União Europeia.

Leia também: Reino Unido estará em 'território desconhecido' se Brexit for recusado, diz May

Além de pedir aos parlamentares para rejeitarem um segundo referendo, May solicitou propostas para o impasse na fronteira entre a Irlanda e a Irlanda do Norte e o fim da taxa cobrada para cidadãos da União Europeia que desejam viver em território britânico. As negociações ocorrem logo depois de o Parlamento reprovar a primeira proposta para o Brexit , provocando uma derrota histórica a May.

Na semana passada, primeira-ministra perdeu a votação no Parlamento da proposta que apresentou. A derrota deixou o Reino Unido diante da perspectiva de não haver acordo para suavizar sua saída da UE em pouco mais de dois meses.

Na tarde deste domingo (20), Theresa May fez uma videoconferência com os ministros para discutir a saída da União Europeia. Ela pretende apresentar uma alternativa que obtenha apoio entre conservadores e integrantes de partidos da Irlanda do Norte

Porém, ontem, a Irlanda rejeitou a possibilidade de um acordo alternativo que mude as linhas de fronteira. O vice-primeiro-ministro irlandês, Simon Coveney, disse, em sua conta pessoal no Twitter, que a disposição é para “proteger a Irlanda”.

Fracasso do Brexit quase custou o cargo de May

Thereza May durante leitura do novo texto do Brexit no Parlamento do Reino Unido
Reprodução/UK Prime Minister
Thereza May durante leitura do novo texto do Brexit no Parlamento do Reino Unido

Theresa May superou na última quarta-feira (16), com margem de apenas 19 votos, a votação de moção de desconfiança no Parlamento do Reino Unido , ganhando sobrevida no cargo de primeira-ministra britânica. Após sofrer derrota histórica durante reunião realizada ontem para decidir os termos do Brexit , a líder enfrentou mais uma votação decisiva, mas viu a ação aberta contra seu governo ser rejeitada por 325 votos a 306. 

A votação foi trazida à tona pelo líder do Partido Trabalhista – de oposição a May – Jeremy Corbyn, que taxou a administração da primeira-ministra como “governo de zumbi” e alegou que May não está apta ao cargo.  O parlamentar ainda destacou que, em dois anos, a ministra não havia sido capaz de fechar um acordo para o Brexit que satisfizesse a maioria do Parlamento.

Leia também: União Europeia afirma que Reino Unido pode revogar unilateralmente o Brexit

Para sobreviver, a primeira-ministra precisava de, pelo menos, 318 votos dentre os 635 deputados que compõem o Parlamento. Se a líder britânica perdesse a moção, a renúncia ao cargo poderia ser feita por iniciativa própria da premiê. Porém, havia ainda a possibilidade de os conservadores resgatarem May como candidata a continuar no cargo de primeira-ministra, ou apresentar um novo nome para ocupar o posto. 

O referendo popular que disse sim ao Brexit foi realizado em 23 de junho de 2016. Um acordo precisa ser fechado no Parlamento até o dia 29 de março, às 23h do horário local, quando as leis da União Europeia param de valer em solo britânico. Caso o Reino Unido não chegue a um consenso, ele deixará o bloco sem a possibilidade de negociar os termos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.