Tamanho do texto

Nos últimos 17 anos, a ex-secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, conquistou o título, segundo a pesquisa anual do instituto Gallup

Michelle Obama foi mais lembrada que Hillary Clinton, nos EUA, quando perguntados sobre a mulher que mais admiram
Brian Blanco/Agência Lusa
Michelle Obama foi mais lembrada que Hillary Clinton, nos EUA, quando perguntados sobre a mulher que mais admiram

Pela primeira vez em 17 anos, a ex-secretária de Estado e ex-candidata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, não ganhou o título de mulher mais admirada do ano pelos norte-americanos. Isso porque ela foi desbancada por ninguém menos que a ex-primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama.

Leia também: Obama bate recorde de curtidas no Twitter com post sobre protestos racistas

A esposa de Barack Obama foi lembrada por 15% dos norte-americanos, quando perguntados a respeito da mulher que mais admiraram em 2018. Michelle Obama foi seguida por Oprah Winfrey, que conquistou 5% dos votos, Clinton, com 4%, e a atual primeira-dama, Melania Trump, também com 4%.

A pesquisa, que foi divulgada nesta quinta-feira (27), é feita anualmente pelo instituto de opinião e estatísticas Gallup . As perguntas são feitas em formato aberto, sem opções pré-selecionadas.

Neste ano, Michelle vem fazendo uma turnê pelos Estados Unidos, promovendo o seu livro de memórias, que já é best-seller, "Becoming". Ela também apareceu na campanha eleitoral democrata, nas eleições midterm, em novembro, quando foi recebida de braços abertos por apoiadores, ao mesmo tempo em que criticava a gestão Trump.

Leia também: Filha mais velha de Obama participa de protesto contra Donald Trump

Por sua vez, a atual primeira-dama norte-americana, Melania Trump, vê sua aprovação declinar com o decorrer do tempo. Apesar de ter sido lembrada por 4% dos cidadãos como a mulher mais admirada do país, Melania tem 43% da aprovação dos norte-americanos, segundo a CNN. Em outubro, ela era aprovada por 54% dos cidadãos.

Outras mulheres notáveis apareceram na lista do Gallup ​neste ano foram a rainha Elizabeth; a chanceler alemã, Angela Merkel; a presidente da Suprema Corte dos Estados Unidos, Ruth Bader Ginsburg; a apresentadora de TV Ellen DeGeneres; a ex-embaixadora dos EUA na ONU Nikki Haley; e a ativista educativa paquistanesa Malala Yousafzai.

O Gallup começou a fazer pesquisas como essa em 1946. Desde então, Hillary Clinton apareceu 22 vezes como a mulher mais admirada do país. Ela ganhou os seus primeiros títulos em 1993 e 1994, durante a presidência do seu marido, Bill Clinton.

Depois, de 1997 ao ano 2000, Clinton voltou a ficar em primeiro lugar na lista. O mesmo aconteceu de 2002 a 2017 – época em que foi candidata à presidência duas vezes, senadora e secretária de Estado dos EUA.

Leia também: FBI intercepta explosivos enviados a Hillary Clinton, Obama e outros democratas

Neste ano, ela perdeu para Michelle Obama , que liderou a pesquisa feita entre os dias 3 a 12 de dezembro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.