Tamanho do texto

País da América Central pede ao secretário de Estado, Mike Pompeo, explicações sobre a morte de Felipe Gómez no estado do Novo México

Duas crianças da Guatemala já morreram na fronteira entre México e Estados Unidos
Wikimedia Commons
Duas crianças da Guatemala já morreram na fronteira entre México e Estados Unidos

O governo da Guatemala enviou, nesta quinta-feira (27) uma nova nota diplomática aos Estados Unidos . No documento, que foi encaminhado ao secretário de Estado, Mike Pompeo, o governo do país da América Central pede investigação e esclarecimentos sobre as circunstâncias da morte de Felipe Gómez, de 8 anos, no estado do Novo México, na fronteira sul dos Estados Unidos.

Leia também:  Menina de 7 anos morre após ser presa na fronteira dos Estados Unidos 

"Uma nota foi enviada novamente ao secretário de Estado para investigar a morte da criança, como foi feito com a menina anterior [Jakelin Caal] que morreu e recentemente [seus restos mortais] acabaram de chegar à Guatemala ", afirmou a minista dos Negócios Estrangeiros da Guatemala, Sandra Jovel.

A chanceler afirmou que o Ministério das Relações Exteriores faz uma série de procedimentos para a repatriação dos restos mortais do menor. Segundo ela, o cônsul da Guatemala em Del Rio, no Texas, Tkandi Paniagua, apresentou um pedido de autópsia "porque é muito importante para conduzir pesquisas e especificar a causa da morte" da criança.

Sandra Jovel acrescentou que eles mantêm uma comunicação constante com o pai do menino de 8 anos nos Estados Unidos e também com a mãe na Guatemala, e eles estão recebendo o respectivo apoio. A ministra informou que a criança e o pai entraram nos Estados Unidos em El Paso, no Texas, em 18 de dezembro e que no dia seguinte a criança foi transferida para o Centro de Migração.

Felipe Alonzo-Gomes estava em um abrigo para imigrantes na fronteira dos Estados Unidos . Segundo o serviço de vigilância de fronteiras, a criança passou mal na última segunda-feira (24) e foi levada a um hospital em Alamogordo com o pai, no estado do Novo México. 

Leia também: Mais uma criança imigrante morre sob custódia dos EUA

Ele apresentou febre e ficou na unidade médica por mais 90 minutos. Depois disso, foi diagnosticado com gripe e recebeu alta no mesmo dia, com prescrição de antibiótico. À noite, voltou a sentir náuseas e vômitos. Faleceu algumas horas depois. As autoridades não detalharam a causa da morte e o governo da Guatemala exigiu uma "investigação clara". 

No dia 13 de dezembro, outra criança também morreu sob custódia do governo na fronteira dos Estados Unidos. Jakelin Caal, de 7 anos, também da Guatemala , morreu em El Paso após ter passado vários dias sem beber nem comer nada. Porém, a família nega que esse tenha sido o motivo e a ONU já pediu a investigação do caso. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas