Tamanho do texto

Cerca de 150 pessoas forçaram a barreira feita pela polícia, que reagiu jogando gás lacrimogênio; manifestantes pedem que o governo renuncie à nova taxa que será aplicada a partir de janeiro sobre o diesel e a gasolina

Manifestantes, conhecidos como
Reprodução/Twitter
Manifestantes, conhecidos como "coletes amarelos", fazem novo protesto na Champs Elysées, em Paris

Confrontos entre a polícia e manifestantes que protestam contra o aumento no preço dos combustíveis estão sendo registrados na manhã deste sábado (1) na Avenida Champs Elysées, que fica no centro de Paris, na França.

Leia também: Morre, aos 94 anos, George H.W. Bush, ex-presidente dos Estados Unidos

Um grupo de aproximadamente 150 pessoas vestidas com coletes amarelos, tentou forçar o bloqueio na Champs Elysées montado pelas forças de segurança, o que levou a tropa de choque a responder com bombas de gás lacrimogêneo.

Em um dos acessos à praça onde fica o Arco do Triunfo, cerca de 500 pessoas tentaram entrar vestidas com coletes amarelos , segundo as autoridades. A peça de roupa se tornou um símbolo das manifestações contra o aumento de impostos sobre combustíveis e é comum na França, onde os motoristas são obrigados a levar em seus veículos nas estradas.

Além dos coletes, máscaras de gás e outros tipos de acessórios tapando o rosto estão sendo utilizados pelos manifestantes que compareceram ao centro da capital francesa.

Os manifestantes exigem que o governo renuncie à nova taxa que será aplicada a partir de janeiro sobre o diesel e a gasolina, um ponto no qual o governo francês tem se mantido firme até o momento.

Leia também: França diz que tratado da UE com Mercosul depende de posição de Bolsonaro

O movimento dos “coletes-amarelos” teve início no dia 17 de novembro e conta com o apoio de dois em cada três franceses, além de uma reivindicação via abaixo-assinado "por uma redução nos preços do combustível" que superou um milhão de assinaturas.

Sem força, o governo não consegue dialogar com representantes do movimento que nasceu nas redes sociais, desvinculado de qualquer comando político ou sindical.

Os anúncios feitos esta semana pelo presidente Emmanuel Macron - um dispositivo para limitar o impacto dos impostos sobre o combustível, assim como um "grande diálogo" - não convenceram, segundo a France Presse .

No dia 24 de novembro, os "coletes amarelos" haviam protestado arrancando o asfalto da Champs-Élysées .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.