Tamanho do texto

Durante evento, chanceler alemã teve paciência para esclarecer a senhora de 101 anos que não é mulher do presidente francês Emmanuel Macron

Angela Merkel e Emmanuel Macron em cerimônia na França
Divulgação/ Twitter - @EmmanuelMacron
Angela Merkel e Emmanuel Macron em cerimônia na França

Angela Merkel, atual chanceler da Alemanha, dedicou alguns minutos do seu tempo a uma francesa de 101 anos, após ser chamada de “Madame Macron”.

De acordo com o jornal britânico Independent , a pequena confusão aconteceu durante a Cerimônia de Comemoração de 100 anos do Armistício da Primeira Grande Guerra, na qual Merkel acompanhou o líder francês, Emmanuel Macron, e foi confundida com sua esposa.

O momento foi captado pela French.TV.info , enquanto a chanceler e o presidente conversavam com aposentados franceses após a cerimônia.

Emocionada quando chegou a sua vez, a senhora de 101 anos apertou a mão do líder francês: “Sr. Macron , não é possível, uma pequena senhora como eu apertar as mãos do Presidente da República. Isso é fantástico”.

Já se voltando para Merkel, a aposentada acabou confundindo a líder alemã com Brigitte Macron, 65 anos, primeira-dama da França.

Leia também: Macron oferece recursos franceses para ajudar na reconstrução do Museu Nacional

Percebendo a atrapalhação da senhora, Merkel procurou introduzir a si mesma e esclarecer quem era. “Eu sou a chanceler da Alemanha”, Merkel explicou duas vezes. Inesperadamente, a única reação da idosa foi a de apenas continuar sorrindo para os líderes e dizer “isso é fantástico”.

Veja abaixo o momento em que Merkel é confundida:


Tributo ao fim da Primeira Guerra na França

Angela Merkel foi eleita a mulher mais poderosa do mundo em 2017 pela sétima vez consecutiva
Reprodução/Twitter
Angela Merkel foi eleita a mulher mais poderosa do mundo em 2017 pela sétima vez consecutiva

No último domingo, Emmanuel Macron, Angela Merkel e mais cerca de 80 líderes internacionais participaram de cerimônia solene e prestaram tributo aos milhões de soldados e civis que morreram durante a Primeira Guerra Mundial, entre 1914 e 1918.

O presidente norte-americano Donald Trump, o presidente da Rússia Vladimir Putin, além de outros representantes, também estiveram presentes, em Paris, no evento que marcou os 100 anos que a Guerra acabou e a assinatura do Armistício no dia 11 de novembro de 1918.

Leia também: Trump barra a concessão de refúgio a imigrantes que entrarem ilegalmente nos EUA

Reunidos sob o Arco do Triunfo, os líderes escutaram discurso de Macron sobre as lições trazidas pela Primeira Guerra e a importância de se pensar no futuro e na boa relação entre os países.

A homenagem foi acompanhada por crianças que leram cartas escritas, durante a Guerra, por soldados alemães, franceses e britânicos, além de performances com violoncelo e bolero.

Além disso, Merkel e Macron mostraram uma placa destinada à reconciliação entre França e Alemanha, colocaram uma coroa de flores e assinaram um livro de recordações.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.