Tamanho do texto

Presidente americano ameaçou cortar ajuda financeira a países como Honduras, Guatemala e El Salvador se o fluxo de imigrantes não for contido

Trump ameaçou cortar ajuda financeira e fechar fronteira sul caso fluxo de imigrantes vindos de Honduras não seja contido
Joyce N. Boghosian/White House - 25.9.18
Trump ameaçou cortar ajuda financeira e fechar fronteira sul caso fluxo de imigrantes vindos de Honduras não seja contido

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçou fechar a fronteira com o México caso não haja controle do fluxo de imigrantes da Guatemala, Honduras e El Salvador que chega ao país. A declaração de Trump reage à chegada de caravana com milhares de hondurenhos que viajaram ao longo da última semana em direção ao território americano. 

Leia também: Avião que levava Melania Trump sofre falha mecânica e faz pouso forçado nos EUA

O grupo saiu na última sexta-feira (12) de San Pedro Sula, no norte de Honduras, com cerca de mil imigrantes motivados pela falta de segurança e pela busca de melhores condições de vida. O número de pessoas já subiu para 2 mil, segundo o jornal The Washington Post . De acordo com o Departamento de Segurança Doméstica dos EUA, houve alta de 80% no fluxo de imigrantes desde junho e 16.658 pessoas foram detidas por tentar entrar ilegalmente no país.

"Além de interromper todos os pagamentos a esses países, que parecem não ter quase nenhum controle sobre sua população, devo, nos termos mais enérgicos, pedir ao México que detenha esse ataque, e se não puder fazê-lo, chamarei o Exército dos EUA e fecharei nossa fronteira sul!" escreveu Trump em seu twitter.

O presidente americano também acusou o partido Democrata de estar fazendo pouco para conter a entrada de grandes grupos de imigrantes no país, por permitir "fronteiras abertas" e defender as "frágeis leis existentes". 

Leia também: Trump gera risos na ONU ao dizer que faz o melhor governo da história dos EUA

Trump sugeriu que a questão pode prejudicar o USMCA, acordo entre México e Canadá, anunciado no começo de outubro, que substituirá o Nafta. Disse ainda que o "ataque" à fronteira sul do país, que inclui a entrada de "criminosos e de drogas", é mais importante que o USMCA. 

Na terça-feira, o presidente já havia ameaçado cortar a assistência a El Salvador e Guatemala se "permitirem que seus cidadãos, ou outros, viajem por meio de suas fronteiras e cheguem aos EUA com a intenção de entrar de maneira ilegal". Trump também disse que suspenderia a ajuda financeira ao governo de Honduras caso não detivesse a caravana de imigrantes.

Uma reportagem do Washington Post  revelou que, nos três meses após a decisão de Trump de suspender a separação de pais e crianças na fronteira,  houve número recorde no fluxo de imigrantes que entraram ilegalmente nos Estados Unidos.  Essa situação levou o presidente a reconsiderar a volta da separação de famílias, que ele acredita que seja a única maneira de conter a imigração no país. 

Leia também: Último texto de jornalista saudita desaparecido defendia liberdade de imprensa