undefined
Reprodução/Twitter
A pequena "primeira bebê" ganhou uma credencial para frequentar as reuniões da Assembleia Geral da ONU

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, fez história nessa segunda-feira (24) ao levar sua filha de apenas três meses, Neve Te Aroha Arden Gayford, para a Assembleia Geral da ONU. Segundo informações da CNN , a bebê foi fotografada com a mãe e o pai, o apresentador Clarke Gayford, durante uma homenagem a Nelson Mandela.

Leia também: Temer viaja para conferência da ONU e Toffoli assume presidência interinamente

Neve até mesmo ganhou uma credencial da Assembleia Geral da ONU , na qual foi apelidada de “first baby”, ou seja, “primeira bebê” em português, e tem roubado a cena nos bastidores da reunião dos líderes mundiais. “Eu queria ter fotografado os rostos assustados da delegação japonesa dentro da ONU ontem quando entraram em uma sala de reuniões no meio de uma troca de fraldas”, escreveu Gayford em seu Twitter.

Ardern explicou para a imprensa que levar Neve para a Assembleia foi uma “decisão prática”, tendo em vista que ela sempre está próxima da mãe na Nova Zelândia , “ela só não costuma ser flagrada”, destacou.

A família viajou para Nova York e, agora, a bebê passa a maior parte do tempo com o pai, que é o principal responsável pelos cuidados da criança seja nos Estados Unidos ou em seu país natal. Contudo, como a primeira-ministra ainda está amamentando, Neve a acompanha durante todos os compromissos oficiais.

Leia também: Em último discurso na ONU, Temer critica intolerância e unilateralismo

Jacinda Ardern e Neve antes da Assembleia Geral da ONU

undefined
Creative Commons
A primeira-ministra da Nova Zelândia levou sua filha de três meses para a Assembleia Geral da ONU, nos EUA

Ardern foi a primeira líder mundial em quase 30 anos a dar à luz enquanto estava no comando do cargo e já explicou que espera que “um dia isso se torne normal”. Sua filha nasceu em junho e, após seis semanas de licença-maternidade, a neozelandesa voltou às atividades de primeira-ministra no último mês.

Ela se tornou a líder mais nova de seu partido e a primeira-ministra mais nova de seu país após 150 anos. Sua vitória, em outubro do ano passado, marcou a primeira conquista do Partido dos Trabalhadores em nove anos, sendo que ela liderou o grupo durante três meses antes de ser eleita.

Leia também: Nova Zelândia aprova licença remunerada  para vítimas de violência doméstica

Em seu discurso na Assembleia Geral da ONU , a premiê disse que “se Mandela pudesse gerar a paz, o resto da África do Sul também poderia. Aquele único ato de triunfo e reconciliação disse muito sobre quem Nelson Mandela era: sua capacidade de perdoar, seu compromisso com a reconciliação e sua habilidade de liderar e inspirar contra todas as probabilidades”.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários