Tamanho do texto

Índice contra o presidente é o maior desde início do mandato; quase metade dos norte-americanos defendem abertura de um processo de impeachment

Colecionando polêmicas, presidente Donald Trump é desaprovado por 60% dos norte-americanos
White House - 26.12.17
Colecionando polêmicas, presidente Donald Trump é desaprovado por 60% dos norte-americanos

Os norte-americanos continuam insatisfeitos com o presidente dos Estados Unidos , Donald Trump. Segundo uma nova pesquisa do Wall Street Journal/ABC News 60% dos norte-americanos desaprovam o trabalho de Trump como presidente, ante 36% que aprovam. Esse é o maior índice de desaprovação já alcançado por Trump.

De acordo com a pesquisa, a maioria dos norte-americanos também apoia a investigação sobre a interferência da Rússia nas eleições e acredita que Donald Trump não deve demitir o procurador-geral Jeff Sessions que cuida do caso.

Quase metade dos norte-americanos (49%) diz que o Congresso deveria iniciar um processo de impeachment que poderia levar à saída de Trump, enquanto 46% se dizem contra.

A pesquisa Wall Street Journal/ABC News se baseou em entrevistas realizadas por telefone com 1.003 adultos de todo o país, entre 26 e 29 de agosto. A margem de erro é de mais ou menos 3,5 pontos percentuais.

O levantamento foi feito na semana em que Paul Manafort, ex-diretor da campanha de Trump , foi condenado por fraude fiscal e bancária e depois que Michael Cohen, ex-advogado de Trump, declarar-se culpado e acusar o presidente de pagar para silenciar atriz pornô que teria se encontrado com o presidente.

A popularidade geral de Trump se divide em linhas de partidarismo, etnia e gênero, de acordo com a pesquisa. Enquanto 78% dos republicanos aprovam seu desempenho, 93% dos democratas e 59% dos independentes desaprovam. Homens o apoiam mais do que as mulheres.

Donald Trump critica ideia de impeachment

Reprodução/ Fox News
"Se eu fosse impichado, acho que o mercado quebraria", afirmou o presidente Donald Trump

No último dia 23, Trump argumentou que a abertura de um processo de impeachment contra si "quebraria" o mercado financeiro. A declaração veio após seu ex-advogado Michael Cohen decidir colaborar com a Justiça, admitindo-se culpado em crimes fiscais e eleitorais.

"Vou te dizer uma coisa: se eu fosse impichado, acho que o mercado quebraria. Acho que todo mundo ficaria muito pobre", declarou Trump em entrevista à "Fox News", rede majoritariamente favorável ao seu governo. "Não sei como você poderia impichar alguém que faz um grande trabalho", disse.

A palavra " impeachment " passou a frequentar a imprensa norte-americana após Cohen ter declarado-se culpado de oito acusações, incluindo violação de regras eleitorais. Ele reconheceu publicamente ter dado dinheiro para evitar que duas mulheres, Stephanie Clifford e Karen McDougal, revelassem casos extraconjugais com Trump, que afirma que o dinheiro saiu de seu próprio bolso, mas sem que ele soubesse.

Donald Trump , em resposta, acusou seu ex-advogado Michael Cohen de “inventar histórias” para conseguir um acordo com a justiça. Em tom irônico, Trump também afirmou que “se alguém estiver buscando um bom advogado, sugeriria com contundência que não contratasse os serviços de Michael Cohen”.

    Leia tudo sobre: Donald Trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.