Tamanho do texto

Ainda na metade de seu mandato, o republicano Donald Trump sai na frente pela reeleição em 2020, arrecadando mais que seus adversários democratas

Donald Trump já arrecadou mais de R$ 340 milhões para sua campanha de reeleição em 2020
Reprodução/ Fox News
Donald Trump já arrecadou mais de R$ 340 milhões para sua campanha de reeleição em 2020

Ainda na metade de seu mandato presidencial, o magnata Donald Trump já saiu na frente de seus adversários pela disputa das eleições de 2020. De acordo com o jornal The New York Times , o republicano já arrecadou mais de US$ 88 milhões – aproximadamente R$ 340 milhões – para investir em sua campanha eleitoral pela reeleição.

Leia também: Alinhados, Trump e Putin negam envolvimento russo nas eleições americanas

Eleito em 2016 envolto em controvérsias, o presidente norte-americano já foi criticado por falas racistas, xenofóbicas e por divulgar notícias notadamente falsas. Empresário e ex-apresentador de TV, o presidente também enfrenta processo na Justiça sobre um suposto esquema fraudulento que o teria levado à vitória no pleito anterior. Todos estes elementos pesam contra a reeleição de Trump .

Por outro lado, contudo, o republicano parece estar mais articulado na busca por apoiadores dispostos a doar dinheiro para seu diretório. Ao contrário da legislação eleitoral brasileira, a maior parte dos recursos de campanha dos candidatos a cargos eletivos vêm de pessoas físicas que doam dinheiro para os diretórios.

A tática de Trump é se aproximar tanto de grandes empresários, dispostos a empenhar grandes montantes de recursos, quanto do eleitor médio, que faz pequenas doações.

Leia também: Jornalista é retirado à força de coletiva de imprensa com Trump e Putin

Uma das pedras no caminho da reeleição de Trump

Ao lado do presidente dos Estados Unidos, o presidente da Rússia,  Vladimir Putin , garantiu que seu governo não interferiu nas eleições presidenciais norte-americanas. A declaração foi feita nesta segunda-feira (16), em coletiva de Putin e Trump, após uma reunião entre os dois em Helsinque, na Finlândia. 

"Tive que repetir o que já disse muitas vezes: a Rússia nunca interferiu e não tem a intenção de interferir nos assuntos internos americanos, entre eles os processos eleitorais", disse Putin, que ainda desafiou aqueles que acreditam nessa interferência: "mostrem-me um simples fato que comprove isso".

A declaração, feita na coletiva de Putin e Trump  , comprovou o alinhamento do discurso dos dois mandatários. 

Trump, na mesma pergunta, disse ter feito uma campanha brilhante, vencendo a democrata Hillary Clinton com facilidade e "por isso é presidente".

Ele ainda afirmou que "nada influênciou no resultado das eleições presidenciais norte-americanas". Para que os planos de reeleição de Trump se materializem, contudo, o presidente terá de provar o que diz nos tribunais.

Leia também: Após receber elogios pela Copa, Putin encontra Trump na Finlândia