Tamanho do texto

Sara Netanyahu, esposa do premiê de Israel, gastou dinheiro público em delivery de restaurantes caros para a residência oficial do governo; veja

Sara, mulher de Benjamin Netanyahu, foi indiciada por gastar dinheiro público em comida gourmet
Reprodução/Haaretz
Sara, mulher de Benjamin Netanyahu, foi indiciada por gastar dinheiro público em comida gourmet

A esposa do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, foi indiciada na manhã desta quinta-feira (21) sob a acusação do crime de fraude. De acordo com a denúncia, Sara Netanyahu teria gastado 360 mil shekels – a moeda israelense – com comida gourmet. O valor, quando convertido, equivale a cerca de R$ 375 mil.

Leia também: Premiê de Israel pede que Europa 'siga o exemplo de Trump' sobre Jerusalém

Segundo o jornal israelense  Haaretz , Sara é investigada por supostamente ter dado ordens aos funcionários da residência oficial do primeiro-ministro, em Jerusalém, para encomendar refeições de restaurantes caros, mentindo que não havia cozinheiros na equipe. Tal prática não é permitida na lei de Israel, principalmente quando se fala sobre um valor tão alto gastados em comida gourmet

Por conta dessa denúncia, a senhora Netanyahu e o antigo diretor do gabinete do primeiro-ministro israelense Ezra Saidoff, foram acusados de fraude e abuso de confiança. Saidoff, além disso, já responde na justiça pela acusação de falsificação de documentos.

Sara vem sendo acusada com frequência por, supostamente, estar assumindo um comportamento abusivo e vivendo com extravagância. 

Leia também: Polícia pede que premiê israelense seja acusado por corrupção

O indiciamento da esposa do primeiro-ministro de Israel surge depois de algumas tentativas da justiça de chegar a uma resolução do assunto com procuradores. Porém, ela se recusou a pagar ao estado israelense o valor das refeições e a admitir que as alegações contra ela seriam verdadeiras.

Netanyahu fala em 'caça às bruxas' 

Por sua vez, o primeiro-ministro também vem enfrentando várias investigações policiais sobre a alegada corrupção.  Netanyahu negou qualquer irregularidade, descartando as acusações contra ele e sua esposa e as associando as uma 'caça às bruxas' da mídia.

A esposa do primeiro-ministro não deu nenhuma declaração pública, porém os investigadores reuniram provas de que Sara Netanyahu estava ciente de que estava infringindo a lei com os seus pedidos de delivery.

Leia também: Oito crianças brasileiras estão separadas dos pais presos pela imigração nos EUA

Mesmo assim, apesar da consciência dos seus atos, Sara não foi impedida de ter usado dinheiro público para fazer encomendas de comida gourmet .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.