Tamanho do texto

Além de criticar publicamente a decisão política do marido em separar bebês e crianças dos pais na segunda-feira (18), Melania Trump teve diversas conversas privadas com o presidente nos últimos dias, afirma porta-voz

Melania Trump teve diversas conversas privadas com o presidente nos últimos dias
Twitter/Reprodução
Melania Trump teve diversas conversas privadas com o presidente nos últimos dias

A primeira-dama dos Estados Unidos , Melania Trump, trabalhou “nos bastidores” da Casa Branca nos últimos dias para convencer o presidente Donald Trump em manter juntas as famílias de imigrantes na fronteira do país, segundo revelou um porta-voz do governo à rede de TV “CNN” nesta quarta-feira (20).

Leia também: Trump assina ordem que coloca fim à política que separa famílias imigrantes

Segundo informações do porta-voz, além de criticar publicamente a decisão política do marido em separar bebês e crianças dos pais na segunda-feira (18), Melania Trump teve diversas conversas privadas com o presidente nos últimos dias, incentivando-o a “voltar atrás” – o que ele acabou fazendo hoje.

A primeira-dama pediu por uma solução legislativa rápida, mas também defendeu que o presidente agisse sozinho para assinar uma ordem executiva e deter imediatamente a divisão de famílias imigrantes. E foi isso o que Trump decidiu fazer nesta quarta-feira, desmentindo ele próprio sobre “não ter autoridade para impedir a separação das famílias sem documentos” ao solicitar que pais e filhos permaneçam juntos.

No documento assinado hoje, o presidente dos Estados Unidos declarou que sua administração deverá “manter a unidade familiar”, detendo famílias inteiras “quando apropriado e consistente com a lei e os recursos disponíveis”. Basicamente, orienta que imigrantes que entrarem nos EUA não sejam mantidos juntos dos filhos se houver ameaça ao bem-estar da criança. As famílias também serão priorizadas no processo de adjudicação.

Leia também: Melania Trump critica medida dos EUA que separa crianças de pais

Sobre a participação de Melania em sua decisão, o republicano disse que “sua esposa sentiu-se muito triste sobre isso”, além de “acreditar que qualquer pessoa com um coração se sente triste sobre isso – pois não queremos ver famílias sendo separadas”.

Muito além de Melania Trump

E não foi só a primeira-dama que criticou publicamente a política adotada pelo governo atual. Trump também recebeu pressão contra a prática de críticos de ambos os partidos – democrata e o seu, republicano. Além disso, quanto mais imagens apareceram na mídia revelando as condições precárias em que as crianças estavam sendo colocadas sem os seus pais, mais a situação do presidente tornou-se complicada, aumentando a urgência de acabar com as ações nas fronteiras.

Leia também: Vídeo flagra violento golpe de faca dado em passageiro de ônibus na Itália; veja

Vale destacar que a ordem executiva assinada hoje pelo presidente americano – com participação ativa de Melania Trump – ainda orienta outras agências, incluindo o Pentágono, a tomarem medidas para encontrar locais para abrigar as famílias. Mesmo assim, é quase certo que a medida enfrentará uma ação legal imediata, desafiando a autoridade do governo em manter as famílias detidas por completo.

    Leia tudo sobre: Donald Trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.