Tamanho do texto

Homens brasileiros que assediaram russa podem responder às autoridades russas, ficando sujeitos a serem banido dos estádios, multa ou prisão

Itamaraty aguarda denúncia contra brasileiros que assediaram russa
Reprodução/Facebook
Itamaraty aguarda denúncia contra brasileiros que assediaram russa

Um vídeo gravado e divulgado por um grupo de homens brasileiros na Copa da Rússia tem repercutido bastante mal na internet: nele, os brasileiros cercam uma mulher russa e, em português, cantam uma música de teor machista que faz referência ao órgão sexual da mulher. A russa, sem entender nada e intimidada pelo grupo, tenta cantar junto dos homens.

Leia também: Melania Trump critica medida dos EUA que separa crianças de pais

A embaixada brasileira em Moscou já foi informada por e-mail do ocorrido e um dos homens que assediaram a russa já foi identificado. Trata-se de Diego Valença Jatobá, advogado em Pernambuco e que já foi secretário de Turismo e Ipojuca, cidade próxima de Recife.

Torcedor que incorra em conduta grave, como violência ou comportamento desrespeitoso, pode ter de responder às autoridades russas, ficando sujeito a ser banido dos estádios, multa ou prisão. O Itamaraty, contudo, informou que ainda não recebeu denúncias contra os brasileiros em questão.

Diante da repercussão do caso, a embaixada ressaltou também que a maioria dos torcedores brasileiros é pacífica e respeitosa. E recomendou aos torcedores que mantenham comportamento cordial e respeitoso.

O Ministério do Turismo também comentou o caso, repudiando a atitude do grupo de brasileiros.

Leia também: Papa Francisco diz que 'fake news' estão relacionadas diretamente com a ditadura

Em nota, a pasta afirma que o machismo e a misoginia não são aceitáveis sob nenhum aspecto, muito menos em um evento como a Copa do Mundo, realizado para “promover a integração entre povos e culturas do mundo todo”.

Cartilha

Para orientar os turistas brasileiros que viajaram à Rússia durante a Copa do Mundo, que termina no dia 15 de julho, os Ministérios das Relações Exteriores e do Turismo elaboraram uma cartilha com recomendações contra atos de violência verbal, visual ou física, em especial atos que possam insultar ou humilhar outras pessoas em razão de gênero, raça, etnia, origem social, religião ou orientação sexual.

Entre outros pontos, a cartilha – que está disponível na internet – alerta que, na Rússia, qualquer comportamento interpretado como assédio sexual pode ser punido com multa ou prisão de até um ano.

* Com informações da Agência Brasil

Leia também: Em dia de abertura da Copa, principal rival de Putin é libertado da cadeia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.