Tamanho do texto

Há quatro anos, prédio foi parcialmente atingindo pelas chamas; moradores do entorno foram obrigados a deixar suas casas na madrugada de sábado

De acordo com os bombeiros, todos os andares do prédio em Glasgow foram atingidos pela chamas
Reprodução/ YouTube
De acordo com os bombeiros, todos os andares do prédio em Glasgow foram atingidos pela chamas

Um incêndio de grandes proporções destruiu o prédio de uma das escolas de arte mais prestigiosas de Glasgow, na Escócia, na madrugada deste sábado (16). Até o momento, não há relato de vítimas nem feridos. No entanto, moradores do em torno foram obrigados a deixar suas casas.

Leia também: Acordo de paz entre os EUA a Coreia do Norte causa preocupação ao Japão

No Twitter, a primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, disse estar "com o coração destruído". "O edifício é o mais importante em termos de arquitetura de Glasgow , não podemos perder este edifício", afirmou, por sua vez, o deputado Paul Sweeney nas redes sociais.


Os bombeiros locais receberam um chamado para o acidente às 23h30 de sexta-feira. O incêndio também atingiu um campus vizinho e uma discoteca. Autoridades informaram que os danos causados ​​pelo incêndio foram "excepcionalmente significativos". No auge do incêndio, cerca de 120 homens e 20 carros de bombeiros estavam no local. De acordo com os bombeiros, todos os andares do prédio foram atingidos pela chamas.

Leia também: Homem é preso após fazer três reféns em Paris, incluindo uma mulher grávida

Prédio foi atingido por incêndio há 4 anos

A Escola de Arte foi fundada em 1845 e formou vários artistas contemporâneos. O prédio histórico, projetado pelo arquiteto Charles Rennie Mackintosh, já tinha sofrido outro incêndio em maio de 2014, mas testemunhas relataram que o fogo de hoje foi mais devastador. O local passava por reformas.

Autoridades também informaram que é provável que todo o trabalho de restauração realizado desde o último incêndio tenha sido destruído.

A renovada biblioteca Mackintosh, destruída pelo incêndio de 2014, deveria reabrir no próximo ano. Ela estava sendo restaurado em um projeto estimado em até 35 milhões de euros.

Leia também: Câmara dos Deputados aprova projeto de lei que legaliza o aborto na Argentina

Ao contrário de quatro anos atrás, os estudantes de arte de Glasgow não estavam usando o prédio agora devastado pelo fogo. Bombeiros usaram a água do rio Clyde para combater o incêndio, resultando em uma série de fechamento de estradas na área.

* Com informações da Ansa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.