Tamanho do texto

Pedro Sánchez, que na última semana inovou ao não fazer o juramento de sua posse sobre a Bíblia, nomeou 11 mulheres para as 17 pastas do governo

Carmen Calvo Poyato, a nova vice-primeira-ministra da Espanha e responsável pela pasta de Igualdade no governo
Reprodução/Casa de S.M. el Rey
Carmen Calvo Poyato, a nova vice-primeira-ministra da Espanha e responsável pela pasta de Igualdade no governo

O novo primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, anunciou os nomes de seu governo nessa quarta-feira (6) e fez história ao escolher 11 mulheres e seis homens. É a primeira vez na história que o país terá um governo com maioria feminina, o que inclui mulheres nomeadas para as principais pastas, como o Ministério da Fazenda e da Defesa.

Leia também: Índice da paz mundial é o pior da última década; Brasil tem leve melhora

Socialista e ateu, o novo líder da Espanha tem inovado desde sua posse na última semana, quando não fez o juramento sobre a Bíblia. Além disso, declarou à imprensa que é comprometido com a igualdade de gênero e que suas escolhas de gabinete são para “um governo para a igualdade social, aberto para o mundo mas ancorado na União Europeia”.

Sánchez também disse que "esse governo nasce com o objetivo de servir à modernidade do país, impulsionar o crescimento sustentável e renovar a vida pública", com uma administração "aberta, decididamente europeísta e reflexo do melhor da sociedade que quer servir".

Dentre as escolhidas estão Isabel Celaà como porta-voz do governo e ministra da Educação,  María Jesús Montero Cuadrado para o Ministério da Fazenda, Margarita Robles Fernández para o da Defesa, Carmen Calvo Poyato como vice-primeira-ministra e responsável pela pasta de Igualdade, e Dolores Delgado no Ministério da Justiça.

Outros destaques do novo gabinete são o astronauta Pedro Duque, que já participou de duas missões espaciais, no comando da pasta de Ciências, Inovação e Universidades, e Nádia Calviño Santamaría, que assume o Ministério de Economia e Empresa depois de ser a diretora-geral de orçamentos na Comissão Europeia.

Novo governo na Espanha após escândalo de corrupção

O socialista Pedro Sánchez foi eleito primeiro-ministro espanhol na última sexta-feira (1º), após obter maioria absoluta dos votos no Congresso dos Deputados do país. Ele entra para substituir o conservador Mariano Rajoy , que estava no poder desde 2011 e foi destituído do cargo. 

O partido conservador da Espanha (PP), de Mariano Rajoy, está envolvido em diversos escândalos – uma vez que alguns de seus membros foram condenados por crimes de corrupção . Desse modo, Rajoy, que já foi considerado “o grande sobrevivente da política espanhola”, foi derrotado após votação de uma moção de censura apresentada pelo Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), de Sánchez. Assim, foi afastado do cargo após sete anos.

Leia também: OEA aprova resolução que pode suspender Venezuela da organização

O novo primeiro-ministro da  Espanha  prometeu atender as "urgências sociais dos espanhóis depois de anos de austeridade sob o governo conservador de Rajoy ”, acrescentando que estava "ciente da responsabilidade e do complexo momento político de nosso país".

*Com informações da Agência Brasil e da Agência Ansa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.