Tamanho do texto

Thomas Westwood, de 46 anos, admitiu ter matado sua mãe porque ela reclamou sobre a pouca quantidade de leite que ele colocou em seu chá

A família de Susan Westwood, esfaqueada pelo próprio filho, escreveu uma carta mostrando sua indignação com o caso
Reprodução/Daily Mail
A família de Susan Westwood, esfaqueada pelo próprio filho, escreveu uma carta mostrando sua indignação com o caso


O britânico Thomas Westwood, de 46 anos, matou sua mãe com 17 facadas após uma discussão sobre a quantidade de leite em uma xícara de chá. Segundo o portal Daily Mail , Susan Westwood teria dito que o chá preparado pelo filho tinha pouco leite e foi esfaqueada até a morte pelo homem, que ficou "irritado" com a situação.

Leia também: Sul-coreana come lula crua e tem boca 'inseminada' por esperma do animal

O caso aconteceu em Coventry, no Reino Unido, em dezembro do ano passado, e começou a ser julgado nesta semana. Thomas confessou ter atacado a mãe de 68 anos depois da discussão sobre o chá, mas também disse que a mulher foi esfaqueada em um ato foi em “legítima defesa”, porque Susan teria usado uma faca para atacá-lo primeiro.

Além disso, o acusado explicou que sofria bullying diário por parte da mãe, e o advogado da defesa, Peter Grieves-Smith, alegou que seu cliente estava sofrendo de um episódio de esquizofrenia paranoide no momento da briga, que aconteceu dentro da casa onde os dois moravam.

Leia também: Mulher tem infecção ocular ao ser atingida por uma misteriosa 'chuva de cocô'

Reação da família de Susan e Thomas

Em nota, a família de Susan declarou estar devastada e de coração partido com a morte da idosa, que era uma “mãe, babá, irmã, tia e amiga que fará muita falta”. Além disso, seus parentes frisaram o quão divertida e generosa ela era, sendo que a mulher “não merecia perder sua vida de uma das formas mais cruéis”.

“Perder alguém na sua vida já é ruim o suficiente, mas Susan ser morta por alguém que ela amava e apoiava infinitamente é um golpe de crueldade . Isso está além de nossa compreensão, nenhuma família imagina que um dia terá que passar por um evento tão traumático. Agora temos que encarar a realidade e aceitar que Susan nunca mais voltará para nós”, finalizou a carta.

Leia também: Mais de 190 estão desaparecidos após erupção do Vulcão de Fogo na Guatemala

A sentença de Thomas, que admitiu a culpa pela mãe morrer  esfaqueada,  será definida daqui aproximadamente dois meses, dia três de agosto, no tribunal Leamington Justice Court.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.