Tamanho do texto

Autoridades do país revelaram que Kevin Smitham, um engenheiro mecânico do Reino Unido, confessou ter matado a esposa tailandesa Kanda, de 29 anos

Kandra e Kevin moravam com os filhos na Tailândia, país natal da mulher; ela foi assassinada após recusar sexo ao marido
Reprodução/Metro.co.uk
Kandra e Kevin moravam com os filhos na Tailândia, país natal da mulher; ela foi assassinada após recusar sexo ao marido


O britânico Kevin Smitham, 51 anos, matou a esposa tailandesa Kanda, 29 anos, a chutes, após a mulher se recusar a fazer sexo com ele. De acordo com o portal Metro , o crime aconteceu na cidade de Ubon Ratchathani, na Tailândia, onde os dois visitavam a família durante um feriado.

Leia também: Brasileiro de 19 anos é morto a facadas em universidade dos EUA

As autoridades locais explicaram que o homem, que morava na cidade tailandesa de Pattaya junto da esposa e dos filhos, confessou ter chutado Kanda no rosto e no corpo durante um “episódio de ciúmes”. Após uma festa, a mulher se recusou a fazer sexo com o engenheiro mecânico, que então passou a acusá-la de traição antes de agredi-la com diversos chutes.

Seu corpo foi encontrado na manhã seguinte por vizinhos que chamaram a polícia para lidar com a situação. A tailandesa estava usando apenas calcinhas quando os oficiais chegaram. “A vítima tinha um cobertor sobre ela. Muitos hematomas foram encontrados pelo seu rosto e seu corpo. E ela já estava morta há muitas horas”, detalhou o inspetor geral Watcharapol Pimwong.

Kevin, que foi encontrado a poucos metros de distância do corpo, foi detido e levado para a delegacia, onde confessou o assassinato. “O senhor Smitham disse que chutou a esposa no rosto e no corpo várias vezes. Ela correu até o lado de fora da casa e caiu, então, ele jogou um cobertor sobre ela”, o inspetor reportou o depoimento do acusado. “Ele disse que não tinha a intenção de matá-la”.

O corpo de Kanda foi encaminhado para uma autópsia, que deve revelar a causa da morte, enquanto o marido continua sob custódia da polícia.

Outro caso de feminicídio

No mês de maio, outro caso de feminicídio chocou a Ucrânia quando Anna Ergieva, de 29 anos, foi morta e decapitada pelo ex-namorado ao se recusar a transar com ele . Segundo o portal  Daily Mail , o crime foi descoberto pelos pais da mulher, que não conseguiam falar com a filha pelo celular e decidiram entrar na casa dela. O caso aconteceu na cidade ucraniana de Odessa.

Os pais da vítima encontraram seu corpo e, pouco tempo depois, localizaram a cabeça de Ergieva, junto de algumas joias e da arma do crime, dentro de uma bolsa nos arredores da residência.

“Ela estava deitada no chão, decapitada. Estava coberta por sangue”, disse o pai da vítima à mídia local. “Todo o quarto estava coberto por sangue, até a televisão. Então, chamamos a polícia, que explorou a cena, mas não conseguiu encontrar sua cabeça”.

Leia também: Bebê de dois dias morre após ser jogada no vaso sanitário pelos pais

Durante as investigações, as autoridades prenderam um chefe de cozinha, também de 29 anos, que fora colega de classe e ex-namorado da vítima. Ele reagiu à abordagem policial e tentou cortar os pulsos, ato que foi contido pouco antes do suspeito confessar o assassinato. O acusado, cuja identidade não foi revelada, disse que sua ação foi motivada por uma “onda de ciúmes”, quando a ucraniana se recusou a fazer sexo  com ele.