Porta-voz afirmou que o exército na Faixa de Gaza se limitou a combater aqueles que tentavam ultrapassar fronteira
Globonews/Reprodução
Porta-voz afirmou que o exército na Faixa de Gaza se limitou a combater aqueles que tentavam ultrapassar fronteira

Apesar do pedido da ONU (Organização das Nações Unidas) de utilizar “força letal” como último recurso , Israel afirmou neste sábado (31) que vai aumentar a intensidade de sua resposta aos protestos na Faixa de Gaza caso eles continuem a ocorrer. A afirmação é do porta-voz do exército israelense, o brigadeiro-general Ronen Menelis, de acordo com a Agência EFE.

“Se o Hamas pretende continuar assim e transformar a cerca [da fronteira com Israel] em um lugar de eventos violentos diários até o dia 15 de maio, não vamos permitir esse jogo de pingue-pongue, eles cometendo atos terroristas camuflados de protestos e nós reagindo. Iremos além para acabar com a violência", afirmou Menelis sobre a “ Marcha do Retorno ”, manifestação de palestinos que teve início nesta sexta-feira (30) na Faixa de Gaza sob fortes confrontos.

Milhares de pessoas foram até a fronteira de Gaza com Israel –  mais de 30 mil, segundo o exército, e 40 mil, de acordo com fontes palestinas. O objetivo do ato é exigir o direito ao retorno de palestinos às terras que tiveram de deixar ou das quais foram expulsos durante a Guerra de Independência israelense de 1948.

Leia também: Após ataque há seis anos, Malala volta à cidade natal pela primeira vez

Você viu?

O porta-voz de Israel afirmou que o exército se limitou a combater aqueles que tentavam ultrapassar a fronteira. "A infiltração em outro país soberano é algo que nenhum país tolera, e nós também não.”

Confrontos da Marcha do Retorno

De acordo com o Ministério da Saúde do Hamas, ao menos 16 pessoas morreram e mais de mil ficaram feridas durante os confrontos. Manelis argumentou que todos os que morreram estavam cometendo ações violentas durante os protestos. Já é o confronto mais letal desde a guerra de Gaza de 2014.

Leia também: Rússia decide expulsar 60 diplomatas americanos e fechar consulado dos EUA

Ainda segundo a Agência EFE, o exército israelense usou fogo real, balas de borracha e gás lacrimogêneo lançados a partir de drones para evitar que os milhares de palestinos se aproximassem da cerca de fronteira na Faixa de Gaza . Os israelenses, por outro lado, afirmam que os manifestantes lançaram bombas incendiárias e pneus em chamas em direção aos soldados, além de um episódio no qual foram utilizadas armas de fogo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários